Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 29 de julho de 2016

BRAZIL: Rumorejando...Julio Raphael Gomel era e sempre será unanimidade curitibana!!!

RUMOREJANDO

http://memoriasparana.com.br/julio-rapahel-gomel-2016/
" (...)dentre as pessoas maravilhosas com quem teve a oportunidade de cruzar,
nos seus 79 anos de vida, não pode deixar de homenagear a figura, de quem
 eu me considerei sempre um irmão, do médico Julio Raphael Gomel,
recentemente falecido. Julinho era a bondade desinteressada, era a pessoa 
que sofria com o caos no mundo. Se no mundo existissem pessoas como ele,
 sem dúvida, o mundo seria diferente..." Juca Zokner.



PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Não se pode confundir atrasar com arrasar, até por quem se atrasar 
para um encontro amoroso, por exemplo, arrisca que depois venha a
 se arrasar pela outra parte não perdoar, o que não é muito provável,
 em certos casos, mas não impossível.

Constatação II (De diálogos esclarecedores).
-“Tudo vale a pena quando a alma não é pequena, disse o poeta”.
-“E quando o sujeito não tem alma, como é que fica?” perguntou o 
incrédulo.
-“Tudo ou, talvez, quase tudo continuará valendo a pena, dependendo
 do cidadão ou cidadã”.
-“Ah, bom”.

Constatação III
Os traficantes de votos, que alegam ser para o partido, já aproveitam 
para cobrar para si uma “propininha”, por que ninguém é de ferro.
 Pelo jeito, trata-se de uma comissãozinha pelo servicinho prestado. 
Vige!

Constatação IV
Não se pode confundir infalível com inflável, tendo em vista que é
 infalível que todo o cara chato, de galochas ou não, maçante, quando
 te abordar vai te deixar com certa parte do teu corpo inflável. A recíproca
 não é necessariamente verdadeira. Ela dependerá de como, por exemplo, 
uma gata te contestar a um determinado pedido que poderá te deixar com
 o teu ego inflável.

Constatação V (Passível de mal-entendido)
As chatas foram postas no rio.

Constatação VI (Sugestão aos filólogos).
A palavra redondilha que o dicionário Aurélio dá com 1. Substantivo 
feminino. Antigamente, quadra de versos de sete sílabas, na qual rimava
 o primeiro com o quarto e o segundo com o terceiro, seguindo o esquema 
abba.
2. Hoje, verso de cinco ou de sete sílabas, respectivamente redondilha
 menor e redondilha maior. [A redondilha maior também se chama apenas
 redondilha.] poderia também ter o significado de filhota que está um pouco
 acima do peso, tendo ficado redondinha; se não for filha, ‘redondona’.
 Fica consignada a sugestão.

Constatação VII
E já que falamos no assunto, quando este assim chamado escriba colaborou, 
durante um ano e meio, na Triboladas, do jornal Tribuna do Paraná com a,
 digamos, sessão Rimas Primas – Juca, utilizava, alguma vez a redondilha,
 sem saber o tal nome da dita cuja. Mas de modo geral rimava a primeira estrofe
 com a terceira e a segunda com a quarta, o que seria abab. Rumorejando não 
sabe se, neste caso, existe um nome específico. Se alguém souber, por favor, comentários esclarecedores no blog. Muito obrigado.

Constatação VIII (De uma dúvida crucial, via pseudo-haicai).
Será que respirar pela barriga
Faz um eventual benefício
Para a eterna faminta lombriga?
Constatação IX (De uma dúvida crucial).
Primeiro um sujeito, com posição relevante, tratou e liderou em afastar
 a presidente; agora, estão tratando de afastar o sujeito de posição relevante
 que liderou o afastamento da presidente. Tendo em vista o país aonde tudo
 isso vem acontecendo, será que não arrisca que pessoas de posição relevantes
 acabem afastadas? Aí, teríamos mais um exemplo do moto perpétuo. Quem
 souber, ou tiver, pelo menos, uma ideia, por favor, comentários no blog. 
Muito obrigado, novamente!

Constatação X (Lembrete aos pilotos. Também para quem brinca 
com tal assunto no computador).
Não se pode confundir arremeter com arrematar, ainda que no caso de 
um avião estiver decolando, quando já atingiu a velocidade desejada ele deve arremeter para arrematar a operação da mencionada decolagem.

Constatação XI
O meu querido e terno time, o Paraná, para cada alegre vitória, ele tem 
levado três tristes derrotas. Quando muito, duas derrotas e um empate. 
Esses empates, normalmente, são de zero à zero; As vitórias, de 1 x 0. 
Duas vitórias em seguida não deixam de ser um milagre... Vige!

Constatação XII (De diálogos esclarecedores).
-“Ué! Você agora deu de falar sozinho, assim como eu também costumo?”
-“De fato. Adotei este esquema nos últimos tempos”.
-“Por quê?”
-“Porque assim eu não tenho ninguém que me contradiga, principalmente
 a minha mulher”.
-“Ah, bom, quer dizer, ah ruim, que dizer, ah bom, mesmo”

Constatação XIII
Não se pode confundir pregou o olho com pegou o molho, até por que 
se você passou a noite e não pregou o olho, como se costuma dizer nestes
 casos, pelas diferentes razões, até as mais comezinhas, como ter de pagar
 um conta no extremo inferior das probabilidades ou com uma gatona no
 extremo agradável da probabilidade, você arrisca de quem pegou o molho,
 por exemplo o de tomate. Bem, ao invés de pôr ele no macarrão, você põe 
na salada de fruta, ou, se pegar um molho de camarão arrisca misturar com
 o bife de carne. Vige!

Constatação XIV (De um pseudo-soneto).

Esporte radical?

Ele escreveu um baita tratado
Sobre chegar a casa bem tarde.
E sem se considerar um destemperado
E que tampouco iria provocar alarde.

Teve a infeliz ideia de corrigir a ortografia,
Dando a difícil tarefa para a sua cara mulher,
Que nem havia terminado o secundário sequer
E que ainda tinha dificuldade de ler a caligrafia.

Quanto mais, com esforço, ela lia,
Mais irritada, mais brava ela ficava.
E sua expressão isso não escondia.

Eis que de repente o acordo foi rompido.
Com uma vassoura daquelas de piaçava
E que tinha um cabo daquele bem comprido.

Constatação XIV
Para quem acompanha Rumorejando nestes mais de 20 anos, deve
 ter se dado conta que a incidência de panegíricos* é praticamente 
inexistente. No entanto, Rumorejando, dentre as pessoas maravilhosas 
com quem teve a oportunidade de cruzar, nos seus 79 anos de vida, não
 pode deixar de homenagear a figura, de quem eu me considerei sempre
 um irmão, do médico Julio Raphael Gomel, recentemente falecido.
 Julinho, como também era chamado, foi uma das pessoas que fazem 
parte, se não a maior, das maravilhosas acima referidas. E não é pelo seu 
humanismo de médico que era, ou pela causa que abraçou que acolhia
 crianças para mantê-las. Julinho era a bondade desinteressada, era a pessoa 
que sofria com o caos no mundo. Se no mundo existissem pessoas como ele,
 sem dúvida, o mundo seria diferente...

*Panegírico = Substantivo masculino.
1. Discurso em louvor de alguém.
2. P. ext. Elogio, louvor:
Adjetivo.
3. Que contém louvor; laudatório, elogioso, encomiástico, panegirical (Aurélio).

QUADRINHAS PARA SEREM RECITADAS ALGURES.
Quadrinha I (Com pequenina dúvida crucial).
O cara quando em, um assalto, sai ileso,
Deve dar graças ao seu anjo da guarda.
E se seu assaltante algum dia vier a ser preso,
É a justiça, acusada de morosa, que não tarda?

Quadrinha II
O marido e a mulher de um corvo
Fizeram, no nosso telhado, um ninho.
A gente não achou nenhum estorvo
E o filhote, o nenê, saiu bem bonitinho.

Quadrinha III
Na vida, diz a sabedoria, que se perde ou se ganha,
Mas em qualquer caso você não deve fazer patranha,
Como tem sido dado a ver neste nosso Brasil afora
Que até dá vontade, como para tantos, de ir embora...

Quadrinha IV
Para os outros, apertar o cinto,
Nada a ver com ‘o piloto sumiu’.
Neste novo governo, eu pressinto,
Que vai ser igual ao que já partiu.

Quadrinha V
O desígnio* não era de se gostar.
Era muito mais para se repudiar.
Pudera! Vivia sempre de caco cheio.
Quando ninguém lhe punha um freio.

*Desígnio = Substantivo masculino.
1. Intento, intenção, plano, projeto, propósito:
Os desígnios da Providência. (Aurélio).

Quadrinha VI
Ele vinha com um ar pálido, cadavérico.
E estava passando em frente ao cemitério.
Assustadas, as pessoas achavam um mistério.
Algumas, inclusive, acharam o sujeito luciférico.

Quadrinha VII
A contratação ser mostrou fajuta, falha.
O sujeito dizia que quem não trabalha.
Não deixa de ser um grande canalha.
Ele acabou se mostrando fogo de palha.

Quadrinha VIII
Desviou-se do seu desiderato, do seu objetivo.
Havia jurado para sua mulher que iria se comportar.
Tudo isso foi dito com balburdia, estardalhaço, espalhafato.
No dia seguinte o que havia dito, não conseguiu mais se lembrar.

Quadrinha IX
Cândida, meiga, desprendida,
Ela se aproximou pé ante pé.
Ele a chamou, de pronto: “Querida!
Venha me fazer um relaxante cafuné”.

Quadrinha X
Ela toda cheia de salamaleque
Até no inverno usava um leque,
A fim de chamar a minha atenção.
Ela não sabia que eu abomino presunção.

Quadrinha XI
Pretendendo deixar de ficar solitário,
Resolvi adotar, da rua, um cachorro.
Ele se revelou ser tão humanitário:
Até para as minhas fossas me deu socorro.

Quadrinha XII
Nunca tinha ficado tão primoroso
Ao pegar um naco da Petrobrás
E havia aquele que nem era cauteloso
Que tirava sua casca: o leva e traz.

Quadrinha XIII
Fui consultar uma sortista
Pra ver se eu ganhava na loteria
Ela me mandou fazer a pista
E que não acreditasse em fantasia.

Quadrinha XIV (Em homenagem ao Julio Gomel).
Se existe alguém que ele não ajudou ou atendeu
É porque essa pessoa, até agora, ainda não nasceu.
Não é justo apodá-lo apenas com a singeleza de um ‘cara bacana’.
Julio Raphael Gomel era e sempre será unanimidade curitibana!!!

Site: www.rimasprimas.com.br