Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 22 de julho de 2016

BRAZIL: Rumorejando acha que a tal Ficha Limpa é pura balela.

RUMOREJANDO

Minha foto
http://rimasprimas.blogspot.com.br/
PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Não se pode confundir ágape que o dicionário Aurélio dá como:
Substantivo feminino e masculino.
1. Refeição que os primitivos cristãos tomavam em comum.
2. P. ext. Banquete, almoço ou outra refeição de confraternização
 por motivos políticos, sociais, comerciais, etc. com HP, agá pê, 
que é o símbolo de horse power, cavalo vapor, que é uma medida
 de potência (Ex. aquele motor tem 50 HP de potência ou 50 cavalos,
 como se usa comumente), muito embora quando se compra o carro 
tão sonhado em função da quantidade de HP, modelo, cor, etc. a 
alegria pode ser manifestada num ágape com a família, amigos não
 invejosos, etc. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho modesta 
e abalizadamente dito.

Constatação II
O meu colega do Badep – Banco de Desenvolvimento do Paraná S.A.
 e grande amigo, Manoel Carvalho, publicou no facebook que “quanto 
mais alto o som do carro mais baixo é o QI de quem está dirigindo”.
 Manoel, mano velho, portanto, inversamente proporcional.

Constatação III
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Favoritos para
 substituir Eduardo Cunha na Câmara têm pendências judiciais”.
 “Dos seis, quatro enfrentam algum tipo de processo, um apareceu na
 Lava Jato e o sexto não responde mais a ações porque os crimes dos
 quais era acusado prescreveram”. Data vênia, como diriam nossos 
juristas, mas Rumorejando acha que a tal Ficha Limpa é pura balela. 
Aliás, pelo jeito se fosse para ser na base da Ficha Limpa seria difícil,
 se não impossível, achar candidatos factíveis. Vige!

Constatação IV
E já que falamos no assunto, quando alguém lê no site de um jornal,
 “Candidatos à presidência da Câmara discursam. Acompanhe ao vivo”. 
Será que há alguma alma caridosa que se proponha a ver e ouvir? Por favor,
 quem tiver a resposta, comentários no blog que Rumorejando faz questão 
de outorgar as medalhas de Inocuidade e a de Santa Paciência.

Constatação V
O cachorro só brincava,
Pois vivia sempre contente,
Mas quando o corneteiro tocava
No toque de silêncio, ele se calava.
Assim, não mais que de repente.

Constatação VI (De uma dúvida crucial).
Por que será que os torcedores brasileiros de futebol não respeitam
 quando, antes da partida, se pede que se faça um minuto de silêncio? 
Falta de educação e de respeito coletiva? Comportamento de multidão? 
Quem souber, por favor, etc.

Constatação VII (De afirmação inócua).
E já que falamos no assunto, tem locutor esportivo que está narrando 
uma partida de futebol e afirma, burramente, durante a transmissão,
 que o jogador vai fazer o gol e ele não faz. O locutor criou, assim, 
uma expectativa que não se concretizou. Será que ele não se dá conta disso?

Constatação VIII
Não se pode confundir noz pecan, que é fruto da nogueira-pecan com 
nós pecamos, até por que a noz pecan é saudável e nós pecamos não é...
 A recíproca não é verdadeira por que quase sempre nós pecamos e noz pecan dificilmente se come por que não se acha com facilidade no 
mercado. Elementar, crianças!

Constatação IX (Cena de faroeste que Rumorejando considera
 antológica).
O amigo do mocinho está sendo enforcado pelos bandidos, naturalmente
 por acusações falsas e também por que sim e tá acabado. Inclusive está 
pendurado com a corda no pescoço. Surge o mocinho e com rapidez vai 
acertando a bandidagem. Um dos tiros, dado do seu cavalo, o mocinho
 corta a corda e o amigo cai no chão, porém já salvo e em liberdade. Vige!

Constatação X
O marido, o Joaquim Manuel, teve que fazer plantão e pediu para a mulher, 
a Maria, que não era lá muito versada no assunto, assistir o jogo da final entre
 Portugal e França para, depois, contar para ele como é que a partida havia 
transcorrido.
“Pelo o que eu pude ver, Portugal teve dois heróis: Um gajo, que estava com
 o cabelo totalmente em desalinho, totalmente sem ver pente ou escova e que 
marcou o único gol do jogo. Seu nome, se não estou enganada, é Éder e que
 foi muito comemorado pelos jogadores de Portugal”; “o, outro, foi o goleiro de Portugal que, como o goleiro da França, era o único que também podia pegar a
 bola com as mãos”. “Este acho que se esqueceu de fazer a barba, ainda que não
 dê para chamá-lo de barbudo”. “Teve um terceiro que foi muito badalado, mas 
não dá para dizer que ele foi herói, pois logo ele teve que sair por que o 
machucaram. Foi uma pena, porquanto ele foi muito citado e, além de ser
 bonito, tinha o cabelo aparado e havia feito a barba”. “Seu nome lembra Cristo, merecido, por que é Cristiano”.

Constatação XI
Embora soem foneticamente iguais, não se pode confundir com descendente comcondescendente*, até por que se você se referir 
a uma estrada que desce do planalto para o litoral, como quem vai, 
por exemplo, de Curitiba para Antonina, pela Estrada da Graciosa, 
você dirá, se for um cara otimista, e condescendente, que ela vence
 a inegável beleza da Serra do Mar, portanto ela é parte com descendente.
 Se você for um cara pessimista, você dirá que ela é com parte ascendente.
*O dicionário Aurélio apresenta condescendente como “Adjetivo de dois 
gêneros.

1. Que condescende, transige; transigente (tolerante)”.

Constatação XII
Deu na mídia: “Municípios dizem que, sem socorro, muitos prefeitos
 ficarão com ficha suja” Data vênia, como dizem os nossos juristas, mas Rumorejando acha que a notícia quis dizer “mais suja”...

Constatação XIII
No fundo, no fundo e no raso, raso, Panoramix, o druída das histórias 
em quadrinhos de Asterix e Obelix não deixa de ser um bruxo do bem...

Constatação XIV
Duas lembranças de quando este assim chamado escriba era pequeno:
-Os presentes que o vizinho, Sr. Avrum Chameki, me dava no meu 
aniversário de três ou quatro anos que, em minha opinião, deveria ser 
um brinquedo ao invés de uma roupa como era o caso. A situação de
 pobreza de ambas as famílias não recomendavam outro presente que 
não fosse aquele que me estava sendo ofertado.
-Meu pai me emprestando uma caneta tinteiro para eu ir fazer exame 
de admissão – espécie de vestibular para entrar no ginásio – no Colégio
 Estadual do Paraná quando eu ainda não havia completado 11 anos. 
Guardei a caneta no bolso e lá fui prestar o exame com o coração na mão...

Constatação XV
E não esqueça, prezado leitor, dias 3 e 4 de agosto próximo, lançamento
 do meu 3º. Livro, Reflexões & Digressões, em dois volumes, nas Livrarias 
Curitiba, das 14 às 17 horas.

QUADRINHAS PARA SEREM RECITADAS ALGURES.
Quadrinha I
Ela quase teve um peripaque
Quando o relógio que faz tique-taque
Mudou seu jeito de andar com destaque,
Andando para trás como se fosse Mandrake.
Quadrinha II
Atacado pela sede e pela fome
Assaltei na madrugada a geladeira.
Me veio na hora: Teu regime retome
Emagrecer 50 quilos não é brincadeira.
Quadrinha III
Meu Botafogo na zona de rebaixamento,
Considero isso muito grave; uma tragédia.
Espero que seja breve; só por um momento.
E, na classificação, ele fique numa média.
Quadrinha IV
Ele, com muita ironia, muito cinismo,
Disse: “após de cinquenta anos de casado,
Conviver com você foi preciso estoicismo
Pra não acabar completamente amalucado”.
Quadrinha V
“Você é carta totalmente fora do baralho”,
Só por que cheguei tarde a casa, ela falou.
“Tente logo arrumar qualquer trabalho,
Já que, todo esse tempo, mamãe te sustentou”.
Quadrinha VI
Disseram os ditos evangelizadores:
“Com certeza, índio não possuí alma”.
Achavam que eles não sentiam dores
E, desse modo, não sobrou vivalma.
Quadrinha VII
Se você não protege a natureza
Você, entre tantos, é filho daquilo.
Você estará agindo com torpeza.
Tomara que te pegue um bacilo.
Quadrinha VIII
Falar sobre sexo e suas preferências
Absolutamente não é tabu para as musas
Elas falam com desenvoltura, como Ciências,
Deixando a maioria das pessoas confusas.
Quadrinha IX
Mário Quintana e Carlos Drumond de Andrade
Foram dois grandes nomes recente da poesia.
João Manoel Simões forma com essa dualidade
Um terceto de muita cultura e de sabedoria.
Quadrinha X
Quando desaparece o que você estava digitando
Chame, logo, de computação, o teu professor.
É quase certo que ele te estará salvando
E você poderá atenuar e aliviar a tua dor.
Quadrinha XI
Temos dois rins e dois pulmões,
Mas coração nós temos só um.
Isso, não causa quaisquer senões,
Pra banqueiro que não tem nenhum.
Quadrinha XII
Quando a gente é ainda pequena,
A gente gostaria de ser bem grande
Mal comparado, um triângulo escaleno,
Daquele que um dos lados se expande.
Quadrinha XIII
Saber a capital do nosso país
É muito civismo, é muito importante.
O que não se entende é que há vários brasis
Com político inócuo, nada brilhante.
Quadrinha XIV
Em um acerto de contas
Entre dois ou mais sócios
Sempre haverá no fim, nas pontas
Alguém que acusará os demais de beócios.
Quadrinha XV
Por que você age como se fosse canhestro*
E não me agarra com as duas mãos pra me beijar
Afinal, você sempre se mostrou ambidestro**.
E eu terei apenas um algo mais para te solicitar.

*Canhestro = Adjetivo. Popular.
1. Feito às canhas, às avessas, desajeitadamente;
2. Desajeitado, desengonçado;
3. Acanhado, retraído (Aurélio).
**Ambidestro = Adjetivo.
Substantivo masculino.
1. Que ou aquele que utiliza as duas mãos com a mesma
 facilidade (Houaiss).

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico prepara um aperitivo com vários ingredientes finos; pobre, 
apenas uma cachaça.
Constatação II
Rico sugere; pobre mete o nariz onde não é chamado.
Constatação III
Rico é proeminente; pobre, carece de importância.
Constatação IV
Rico inova; pobre, continua sempre na mesma.
Constatação V
Rico participa de convenção; pobre é errante.
Constatação VI
Rico é a causa determinante do sucesso; pobre, por força do fracasso.
Constatação VII
Rico é sensível; pobre, impenetrável.
Constatação VIII
Rico é abençoado; pobre, carrega uma cruz.
Constatação IX
Rico tem em grande consideração; pobre, faz gesto obsceno.
Constatação X
Rico é naif*; pobre, pintor, faz mixórdia com as tintas.
Adjetivo de dois gêneros.
1.Diz-se de arte, esp. pintura, desvinculada da tradição erudita 
convencional e de vanguarda, e que é espontânea e popularesca na
 forma sempre figurativa, valendo-se de cores vivas e simbologia 
ingênua (Aurélio).