Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 31 de março de 2014

BRAZIL: PROPAGANDA

EMBALAGENS ENGANOSAS

www.google.com.br/images. kkkkk
Sérgio Antunes de Freitas

Dei razão para minha esposa, quando ela me pediu: - Já que você vai ao supermercado, compra um xampu para mim. Já anotei a marca neste papel e você não vai errar.
Não era exagero, pelo que complementou: - Dá ultima vez, você errou e trouxe condicionador. Lembra?
Não era questão de lembrar, mas de não esquecer, tamanha foi a bronca que levei pela desatenção. Na verdade, eu nunca soube direito a diferença entre os dois.
Desta vez, pensei, não vai ter erro, pois, além da marca anotada, ainda vou observar o prazo de validade. Quando faço um serviço, tem que ser completo, oras!
Vamos lá! Deve ser na sessão de cosméticos.
Procurei, procurei, procurei e nada da tal marca.
Perguntei ao funcionário e ele me confirmou que o produto estava em falta.
Só havia duas opções, não levar nada ou comprar outro, com boa aparência, para demonstrar carinho. Esta segunda me pareceu mais conveniente, mesmo com prejuízo financeiro quase certo.
www.google.com.br/images
Passei a escolher o recipiente mais adequado, atento para discernir entre xampu ou condicionador.
Peguei o primeiro, no qual estava escrito com letras lindas e coloridas: “Novo”, “Cientificamente Comprovado”, “Para Cabelos Normais” etc. Mas seria xampu ou condicionador?
Fui ver na parte de trás! A letrinha miúda, quase impossível de ser enxergada, informava: “Produzido a partir das ervas mais finas...” e não consegui ler mais nada.
Fui ao segundo. Na embalagem com desenho futurístico, a informação: “Preferido pelas Grandes Estrelas”.
E eu nem sabia que o sol tinha cabelos!
www.google.com.br/images

E mais informações: “Nova Fórmula”, “Produção Sustentável”, “Cabelos Macios e Sedosos”. E daí? É xampu ou condicionador?
Comecei a tergiversar mentalmente: Será que existe xampu para as mulheres que fazem a tal chapinha ou só para loiras?
Fui percorrendo outras prateleiras. Não, isso é macarrão! Não, é guardanapo! Ôpa, não posso esquecer da cerveja!
Voltei para perto dos cosméticos.
“Fórmula Mágica”, “Atuante Reparador”, “Fortificante”, “Combate a Fragilidade”, “Eficaz Contra o Ressecamento”, “Reconstituinte”, “Hidrata e Perfuma, “Anti-Queda”, “Anti-Coceira”, Proteção de Cor”, “Controle Natural da Oleosidade”, “Cabelo Sem Pontas”... mas é xampu ou condicionador, pombas?
Eu já estava desistindo, quando li, em letras normais: xampu!
A embalagem era bonita, cheia de palavras qualificadoras do conteúdo, mas não havia dúvidas, estava escrito afinal: xam-pu!
E estava dentro do prazo de validade!
www.google.com.br/images

Pôxa! Bate uma alegria nessas pequenas vitórias.
Cheguei e anunciei com voz forte e orgulhosa: - Seu xampu está aqui em cima da mesa. Não havia aquela marca, mas eu comprei outra, para ver se serve. Se não servir, a gente dá para alguém que queira. Tudo bem?
- Tudo bem, meu Amor! Vou ver já, já, Querido!
Fui à varanda e abri um livro para continuar uma leitura prazenteira, daquelas que prende a atenção mesmo. Merecida paga!
Mas, de repente, escutei: - Você está de brincadeira, seu quadrúpede?
- Que foi, Muié?
- Isso é xampu para cachorros.

Como diz o personagem Bode Gaiato: “e assim que fui dormir de couro quente"!

Sérgio Antunes de Freitas
30 de março de 2014