Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 29 de junho de 2013

BRAZIL: RUMOREJANDO...

quarta-feira, 26 de junho de 2013

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Durante uma rixa.
Disse a lagartixa
Pro lagartixo:
“Você nunca capricha,
O que você faz é lixo,
Você é um desajeitado
Um desmiolado”,
Um afobado
E um relaxado.
Quero te ver dissipado!
Suma-se do meu lado!”
Coitado!
Constatação II
Rico é maroto; pobre sem-vergonha.
Constatação III
“Não se prenda,
Loucamente,
A tua renda.
Grana
Tem que circular”,
Falou
O cunhado,
Metido a bacana,
Que solicitou
Emprestado,
Uma nota
Comprida,
Contando lorota,
O preclaro,
De maneira desabrida.
Para, evidentemente,
Nunca pagar,
Tão-somente.
Coitado!
De quem emprestou...
É claro!
Constatação IV
Rico quando é simpatizante do socialismo (existe?) é idealista; pobre, em condições semelhantes, é subversivo.
Constatação V (Passível de mal-entendido).
Ela já deu tudo o que tinha que dar.
Constatação VI
Rico é, subtilmente, adepto do erotismo; pobre, profundamente, da pornografia.
Constatação VII
E como disse aquele cidadão que colaborava com a Sociedade Protetora dos Animais, ao se inteirar que o publicitário Duda Mendonça havia sido preso, pela Polícia Federal que chegou e o flagrou com mais centenas de outras pessoas numa rinha de galo clandestina, em Jacarepaguá: “Agora me dou conta que o a única coisa boa que Jânio Quadros fez, quando foi presidente da República, nos sete meses que governou, foi proibir a briga de galo em todo o país. A humanidade é insolúvel. Efetiva e indubitavelmente não tem mais solução e, com toda a certeza, nunca terá. Pena...”
Constatação VIII
A propósito, o Sr. Duda Mendonça disse que briga de galo era o hobby dele. Data vênia, como diriam nossos juristas, Rumorejando gostaria de entender como é que uma pessoa pode se divertir vendo o sofrimento de um animal, planta, pessoa ou seja lá o que for. Quem souber explicar, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IX
Não se pode confundir denotar com detonar, até porque as armas que, cotidianamente, virou uma praxe detonar, com a maior sem cerimônia, sem freios, à vontade, pelos assaltantes, tem muito governante que se nega a denotar... A recíproca, para essa escalada infindável da violência, não parece ser verdadeira, o que, é imprescindível que se diga, não consola quem quer que seja.
Constatação X
Ele perdeu a cor,
Pois reprovou
No vestibular
Do Amor:
Não conjugou
O verbo amar,
Gostar,
Adorar,
Idolatrar
No pretérito passado,
Nem no presente
Do indicativo
E do subjuntivo,
O que deu motivo,
Resultou,
Redundou
Em ser chutado,
Abandonado,
Vilipendiado
Pela namorada
Altamente versada
Nesses assuntos
Que se realizam juntos
E em outros mais,
Como a gramática,
A matemática
E não ficar
Absolutamente
Estática,
Ou apática,
Como ele nunca vira,
Não conferira,
Nem sentira
Jamais.
Coitado!
Constatação XI (De uma dúvida crucial. Quem souber a resposta, comentários no blog. Obrigado).
O resumo
Do resumo
Do resumo
É que estamos
Perdendo o rumo.
Até aí, nada de novo.
Mas nós, o tal de povo,
Como é que ficamos?
Constatação XII (De um “poeminha” rápido, quase a jato).
Ela fica tiririca
Quando o pessoal
Faz futrica
E, com todos, fica
Bem...de mal.
Constatação XIII
“Não me apoquente”,
Ela disse
Para o namorado.
“Tenha presente
Que você só diz
O que sempre quis
E eu escuto,
A cada minuto,
Só tolice,
Só besteira
Só burrice.
Parece até brincadeira.
A que se fazer
Dosagem
No seu palavreado.
E coragem
Pra quem escuta
Tua história
Com tanta bobagem,
Tão imbecilizada.
Que inglória
Luta!”
Coitada!
Coitado!
Constatação XIV
Não se pode confundir instigantes com intrigantes, muito embora exista fatos, pessoas e coisas que nos deixam intrigados por conseguirem ser, em alguns círculos, instigantes. A recíproca só é verdadeira, dependendo de quem as julga. Elementar, minha gente...
Constatação XV
Meteu
A colher
Torta,
Onde
Não
Devia,
A “blonde”,
A abelhuda.
Recebeu,
Do mosca-morta,
O que se fazia
Mister:
Um safanão,
Um empurrão
E uma admoestação:
“Calada,
Cabeçuda”.
Coitada!
Constatação XVI
Segundo uma reportagem publicada no jornal britânico Financial Times, “altos impostos e altas taxas de juros, burocracia excessiva, um Judiciário lento são os empecilhos para investimentos estrangeiros no Brasil”. Data vênia, como diriam nossos juristas,Rumorejando acha que o jornal inglês trocou os adjetivos já que nossos impostos e as taxas de juros são lentos (para baixar), o Judiciário é alto (supremas instâncias superiores) e a burocracia é comedida (ao pedir, cada vez, um novo documento).
Constatação XVII
Rico tem questiúnculas; pobre, broncas.
Constatação XVIII
Quando a velhinha, que conhecia a Humanidade – muito mais do que técnico e comentarista se julgam entendidos em futebol – se inteirou na mídia, “Lula instala Conselho de Combate à Corrupção”, proferiu, sabiamente, do alto da sua longeva e provecta vetustez: “Esse Conselho aí tem que ser incorruptível e ter comportamento ilibado, caso contrário continuaremos todos, como sempre, fo, digo, ferrados”.
Constatação XIX
Sentiu-se acabrunhado,
Espeloteado,
Estouvado,
Chegou a perder
O rebolado,
Quando seu time,
O tal com “jogo sublime”,
Sempre cognominado
De imbatível,
Só acostumado
A vencer,
Caiu para a Terceirona,
Achando passível
Que se houvesse
Uma quarteirona,
Ou quintona,
Ele lá acabaria,
Pensou, tristemente,
Com uma carranca,
Com uma careta,
Tão feia como o capeta,
Até com um esgar,
Que repuxava seu maxilar,
Ainda que altivo
E metendo panca:
“Tal tipo de baixaria
Acontece...
Só para quem tá vivo,
Tão-somente”.
Coitado!
Constatação XX
Deu na mídia: “Entre 2002 e 2003, o número de brasileiros que viviam na miséria havia aumentado em 2,4 milhões. Passou de 45 milhões para 47,4 milhões no espaço de um ano. O estudo mostrou que a miséria cresceu nas regiões metropolitanas e caiu na zona rural”. A mídia, naquela época, também esqueceu mais uma vez, o que é imperdoável, de acrescentar: “Viva nóis”.
Constatação XXI
Este assim chamado escriba solicita, encarecidamente, para que alguém lhe explique qual a razão que, há tempos, existem vários guias telefônicos – todos incompletos, é bom que se ressalte –, destinados a informar Comércio, Indústria e Serviços e nenhuma lista de assinantes para Curitiba e Região Metropolitana. Quem se dispor a explicar, comentários no blog. Obrigado.
Constatação XXII
Rico é badalado; pobre, baldeado.*
*Baldeado = “Passado de um lugar para outro”.
Constatação XXIII (De uma dúvida não necessariamente crucial).
É muito provável
Que algum notável,
De miolo estreito
Recém-eleito,
No último pleito,
Seja mais-que-perfeito,
Ou imperfeito
E de inimputável,*
Deplorável
Ou de ininvestigável
Conceito?
*Inimputável = “Não imputável; irresponsável”.
Constatação XXIV
Deu na mídia: “Homem é atacado ao tentar levar mensagem divina aos leões”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o cidadão deveria antes fazer uma pesquisa junto aos reis dos animais para saber se a religião que eles professam não se choca com a sua.
Constatação XXV
Não se pode confundir pascentar, que quer dizer apascentar, ou seja, “levar ao pasto ou pastagem” com sentar em paz, até porque quem se põe a pascentar, quase sempre se põe a tocar uma flauta, está numa boa, se sente em paz, está em consonância com o universo. Pelo menos nas histórias infantis. Já sentar em paz, nos dias atribulados de hoje, com tanta violência, más notícias, guerras, fome e outras desgraças pelo mundo afora já fica um poucochinho mais difícil. A recíproca para esses casos de rebanhos, comodidades e paz de espírito é um tanto quanto confuso aquilatar. Quem se dispor a nos dar uma mão, Rumorejando desde já agradece.
Constatação XXVI (De diálogos medicinais).
Quando o obcecado que almejava maneirar a sua – dele – obsessão que ele considerava muito exacerbada dirigiu-se a um médico psiquiatra e psicanalista seu colega e amigo desde a infância. Aí, deu-se o seguinte diálogo que transcrevemos a seguir:
Médico: “Você se considera um cara feliz?”
Obcecado: “Nem um pouco”.
Médico: “Mas eu sempre te vejo acompanhado de mulherões e mulheraças. Penso que pelo assédio delas, você deve se considerar um cara bem apessoado, pois não?
Obcecado: “Bonito, você quer dizer?”
Médico: “Digamos que sim. Na América Latina em geral e no Brasil, em particular se um homem disser que outro homem é bonito ele poderá estar comprometendo a sua virilidade”.
Obcecado: “É verdade, mas eu tenho conheço há muito tempo e não me preocupo com essas coisas. Cada um deve fazer o que bem entende, naturalmente desde que não prejudique quem quer que seja. Voltando a vaca fria, essa profusão de mulheres que efetivamente me assediam, o que me dispensa que eu as assedie, não me traz uma felicidade completa”.
Médico: “Por quê?”
Obcecado: “Porque as mulheres que se interessam por mim são de uma burrice tal digna de figurar no Livro Guiness de Recordes. E quando não, são mulheres que têm o platinado colado e, quando muito, as duas coisas”.
Médico: “Platinado colado? O que quer dizer isso?”
Obcecado: “São pessoas que já estiveram em casas de saúde mental. Como você deve saber, rico vai para casa de tratamento dos nervos; pobre, para o hospício. Pois é, tudo isso me faz pensar que só burras e loucas estão a fim da minha pessoa”.
Médico: “Ah, entendi. Bem, inicialmente, vamos tratar de te devolver a tua autoestima, teu amor próprio. Para começar, vamos programar umas dez sessões”.
Obcecado: “E quanto vai me sair este tratamento?”
Médico: “Eu costumo cobrar dos meus pacientes mil e quinhentos reais”.
Obcecado: “Das dez sessões?”
Médico: Não de cada uma. Mas não se apoquente. Para você que é meu velho amigo, eu faço a mil reais”.
Obcecado: “Vige!”
Rumorejando lamenta informar que não ficou sabendo se o obcecado concordou em fazer o tratamento. Tão logo tenhamos essa informação daremos a conhecer aos nossos prezados leitores, bem como a sequência do desfecho da sua – dele – pretensão. Obrigado pela compreensão.
Constatação XXVII (Gente fina é outra coisa).
Existe um slogan que diz: “Brasil mostra a tua cara”. Durante o movimento que tomou conta de todo o Brasil contra os desmandos dos políticos e governantes os prezados leitores notaram que todos eles, sem exceção, se escafederam, tratando de não se mostrar?
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br
Sitewww.rimasprimas.com.br