Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 14 de maio de 2016

BRAZIL: RUMOREJANDO...

RUMOREJANDO


http://rimasprimas.blogspot.com.br/
PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
E como se justificava o obcecado, diante dos comentários dos amigos 
que ele sempre estava malvestido: “Não é a roupa que faz a pessoa. 
Eu conheci muitas mulheres inteligentes e cultas quando elas estavam
 totalmente sem nenhuma”.

Constatação II (De uma dúvida crucial).
Se a fórmula química da água é H2O, a fórmula do fogo é 
1/H2O (Um sobre H2O)?

Constatação III (De outra dúvida crucial).
Ao revogar sua própria decisão, como presidente interino da
 Câmara Federal, que anulava a votação dos deputados federais a
 favor do impeachment da presidente da República, o deputado 
Waldir Maranhão deu por fim aos seus cinco minutos de inglória?

Constatação IV (De uma terceira dúvida crucial).
A Progressão Geométrica é comadre da euclidiana, da analítica e 
da espacial?

Constatação V (De mais uma dúvida crucial).
A Pílula de Vida do Dr. Ross morreu?

Constatação VI
O médico mandou
Ela fazer uma dieta,
Mas ela se revoltou.
Ao invés de obedecer
Desbragadamente passou
A comer
O triplo da meta
Recomendada.
Finou.
Coitada!
Constatação VII (Quadrinha para ser recitada pelas mamães).
Vai dormir menino sapeca
Amanhã tem que ir à escola
E no recreio jogar bola
Pra não ser um Juca, digo, Jeca.
Constatação VIII
Não se pode confundir açulou que o dicionário Houaiss dá como 
1.incitar (cão) para que morda, ataque ou se porte agressivamente
 (contra).
transitivo direto e bitransitivo
2.Derivação: por extensão de sentido.
provocar em (alguém) irritação, agastamento (contra); enfurecer,
 exasperar
com azulou, que o mesmo dicionário diz, dentre outros 3. Regionalismo: Brasil. 
Uso: informal. Pôr-se em fuga, retirar-se em debandada; fugir, escapar, até porque 
se um cão, açulado, ou não, vier em sua direção com ares indistintos e, se der no 
jeito, a melhor coisa é azular.
Constatação IX
“A tua prima escorregou
Quando me encontrou
E na bochecha me beijou”,
O marido explicou
Quando a mulher encontrou
Baton na sua gravata.
“Deixe-se de lorota!
Prefiro que você me conte
Alguma bravata.
Afinal, é inesgotável tua fonte.
E a marca da bochecha não se nota.
Seu mentiroso,
Metido a talentoso
Seu descarado,
Seu safado!”
“Se eu não a tivesse segurado,
Ela teria se esborrachado
Na calçada”.
Coitada!*
Coitado!
*Não ficou devidamente esclarecido à qual das duas se refere à
 expressão “coitada”. Tão logo Rumorejando tome conhecimento
 dará ciência aos seus prezados leitores.

Constatação X
O septuagenário, quase octogenário, não conseguia entender
 porque os atendentes esboçavam um sorriso – quando não, um riso – 
e iam falar com o gerente, pedindo esclarecimentos, quando ele
 estacionava no posto de gasolina e pedia: “Me encha o tanque 
com um hectolitro de gasolina comum”; quando no armazém
 pedia um decagrama de queijo e mais ou menos um decímetro 
de salame e um galão de manteiga. E, na casa de tecidos, 
100 polegadas de determinado pano. Coitado!

Constatação XI (Pseudo-soneto, da série Ah, o amor...).
         
               Ternura

Olhos nos olhos e de mão dadas
O casal idoso senta na praça.
Será que ele diz piadas?
Ela ri. De alguma graça?

Súbito, ficam sérios
Se beijam como antigamente.
Afinal, não há mistérios
Em se beijar de modo ardente.

Agora, ela apoia a cabeça no seu ombro.
E ele beija os seus brancos cabelos.
Para quem passa, nenhum assombro.

Os vizinhos já estão habituados
Com essa sucessão de doces desvelos
Só os de fora ficam com olhos arregalados.

Constatação XII
Com a absolvição do ex-ministro do então deputado federal
 Antônio Palocci pelo Supremo Tribunal Federal, deu, certa 
vez, na mídia: “O ex-presidente da Caixa Econômica Federal 
Jorge Mattoso será o único a responder a ação penal por suspeita 
de participação na quebra do sigilo bancário e na divulgação dos
 dados do caseiro Francenildo dos Santos Costa”. Data vênia,
 como diriam nossos juristas, masRumorejando acha que o
 ex-presidente da Caixa quis fazer média, na época, com o 
então ministro Antonio Palocci. Ver a constatação seguinte.

Constatação XIII
Não se pode confundir costura com postura, até porque quando o 
garotão costura no trânsito, porque tem pressa, mesmo sem não ter
 nada a fazer, pondo em risco a sua vida e de outros, e porque assistiu
 a vitória do seu – dele – ídolo na Fórmula I, está tendo uma postura
 digna de ser enquadrado como qualquer simples mortal, obviamente 
exceto deputados, senadores, ministros, juízes e desembargadores de 
um país de alhures.

Constatação XIV
Um otimista sempre vai achar que o Paraná volta para a Primeirona
 do Brasileirão; o pessimista, que ele cai para a Terceirona; o realista
 que ele deverá continuar na Segundona. Esta parece ser a mais 
provável. Triste sina...

Constatação XV
Não se pode confundir provisão com profissão, muito embora muitos 
políticos fazem de seus cargos uma profissão, recorrendo a alguma 
provisão de numerário, não necessariamente honesta, independentemente 
de seus estratosféricos salários.

Constatação XVI
Não se pode confundir colunável (Quem aparece nas colunas sociais
 [e/ou policiais]) com colimável (passível de se ter em vista; pretenso), 
até porque nem sempre é possível obter o objeto, pessoa ou coisa que
 se deseja por meios lícitos, ou não, com o fito de passar a ser colunável.
 A recíproca é como é e tá acabado. Tenho democraticamente dito!

Constatação XVII
Parcos pode ser substantivo ou adjetivo; porcos, também. Mas nem 
por isso devem-se confundir uns com os outros.

Constatação XVIII
Deu, certa vez, na mídia: “Eu achei o pedido da ministra incabível”, 
disse a ex-secretária da Receita Federal Dilma Vieira se referindo 
a então Ministra Dilma Roussef. Taí mais uma expressão sendo
 inaugurada em depoimento. E a sua utilização, embora soe estranha, 
está correta. Igualmente como foi a de outro ministro que usou o
 “imexível”. A utilização de ambas é infrequente (epa...).

Constatação XIX
Também deu, certa vez, na mídia: “Esse pessoal do PT que votou a
 favor do Sarney para presidente do senado agora tenta justificar o
 voto (“Obedeci ordens porque sou homem do partido”), para estar
 bem com todos”. Os nazistas também, segundo eles, obedeciam a 
ordens. Já, naquela, estava na hora do pessoal do PT se dar conta de 
quem bate o escanteio não consegue também cabecear. A falta de caráter
 acabou virando pandemia...

Constatação XX
Disse a mulher na praia para o marido: “Pare de olhar para essas
 meninas todas”.
Disse o marido: “Não sou eu que estou olhando pra elas. São elas
 que estão olhando pra mim. Como você já deve ter se dado conta, 
no meu caso específico, charme não se compra em farmácia”.
Contestou a mulher: “Mas xarope, sim”.

Constatação XXI
Uma livraria cá de Curitiba colocou junto a sua placa indicativa
 uma máxima, atribuindo sua autoria ao grande escritor gaúcho, 
meu guru, Mário Quintana: “Livros não mudam o mundo, quem 
muda o mundo são as pessoas; os livros mudam as pessoas”. A 
autoria da frase é contestada. Segundo os entendidos ela foi
 proferida pelo romano do século II a.C. Caio Graco. Rumorejando 
gostaria de receber informações dos seus leitores a respeito. 
Muito obrigado.

Constatação XXII
Travado
Pelo zagueiro,
De gol com gana e sede,
O artilheiro
Chutou-o e também a bola.
Esta quicou
Como se tivesse cola
E ficou
Ali ao lado.
O coitado do zagueiro,
Ao ser chutado,
Voou
Raspando o travessão.
Acabou
Estatelado
Na rede
Onde se emaranhou
Na maior contusão.
Coitado!
Constatação XXIII
Nada de ladainha!
A credibilidade
Da Situação
E da Oposição
Tá um caco.
Na realidade,
Eles sempre foram farinha
Do mesmo saco.
Constatação XXIV (Taí mais uma notícia de transcendental 
importância para o futuro da Humanidade).
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo, publicado da 
revista Vogue: “Camila Alves ostenta decote poderoso em evento
 beneficente”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando 
confessa que só conhecia decote generoso. O mencionado, para quem viu,
 além de estar, para quem é pudico, por um fio, para “mostrar demais”
 é poderoso, provavelmente por àquela razão, ou seja, mostrar demais. Vige!

Constatação XXV
Deu na mídia: “Presidente da Inguchétia retorna dois meses após atentado”. ERumorejando que achava que seus conhecimentos de geografia 
estavam em dia. Inguchétia?

Constatação XXVI
E como dizia o obcecado para a solteirona convicta, parodiando o antigo
 partido União Democrática Nacional - UDN (“O preço da liberdade 
é a eterna vigilância”): “O preço da ignorância é a eterna vigilância. 
E o preço da vigilância é a eterna ignorância”.

Constatação XXVII
E já que falamos no assunto da incompreendida liberdade, o livro
 Poemas para a Liberdade, do escritor Manoel Andrade, catarinense 
radicado em Curitiba, publicado em vários países da América do Sul, 
saiu em português, pela Editora Escrituras de São Paulo, numa edição 
bilíngue. Leitura obrigatória, como diriam os críticos.

Constatação XXVIII
O livro do meu grande amigo Valdir Izidoro Silveira, Escritos de
 Resistência – Quatro Décadas de Reflexão é leitura obrigatória
 para quem quer tomar conhecimento de nossa história e da luta do 
escritor em defesa das injustiças sociais. Rumorejando,respeitosamente, 
recomenda.

Constatação XXIX
Será que a presidente Dilma Roussef se sofrer, ou ganhar, ou lhe ser
 imputado o impeachment vai ter que recorrer ao seguro desemprego? 
Quem souber responder a resposta, por favor, comentários no blog. 
Obrigado!

RICOS & POBRES
Constatação I (Com os agradecimentos ao amigo, o professor 
de Educação Física, Personal training e Fisioterapeuta
 João Paulo de Andrade Alarcão. Apareça, menino!).

Rico tem escápula; pobre paleta.
Rico tem gastrocnêmio; pobre, batata da perna.
Rico tem patela; pobre, rótula.

Constatação II
Rico sempre seus ganhos dobra; pobre, soçobra.

Constatação III
Escritor rico é vocabularista; pobre, sensacionalista.

Constatação IV
Rico ganha abastança*; pobre, perde a esperança.
*Abastança = substantivo feminino.
1. Provimento satisfatório ou suficiente.
2. Excesso de provimentos e haveres; abundância, riqueza.
3. Vida segura, confortável, sem privações ou problemas de 
subsistência (Houaiss).