Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 16 de agosto de 2016

BRAZIL: GEOPOLÍTICA ESTADOS UNIDOS x BRASIL

 A COISA TÁ RUSSA!

Resultado de imagem para tio sam e brasil
www.google.com.br/images. Manifestações Fora Dilma, Impeachment Já. Eis a síntese da filosofia de vida e projeto de nação para os Coxinhas! Autoritarismo, ditadura militar e o Brasil "de quatro" para os Estados Unidos.

Marina da Silva

Que tio Sam nunca levou o Brasil a sério como nação soberana, sempre ridicularizou os políticos brasileiros, um bando de provincianos e desprezou a população como meros macacos é historicamente conhecido; assim como a aversão brasileira aos Estados Unidos, salvo os Coxinhas (uma facção classe média irracional, egoísta, conservadora; cujo ápice de consumo se encontra em Nova York, Miami e Disneylândia) e que volta e meia clamam pela intervenção estrangeira EUA no Brasil valendo-se da máxima: As Américas pertencem aos americanos!
O gigante bobalhão, assim é conhecido o Brasil, deitado em berço esplêndido de riquezas, nunca meteu medo a ninguém menos ainda aos Estados Unidos. O Brasil é o país do futuro ou “A chave para o futuro”, teria dito Richard Nixon [1968-1974] a seu assessor de Segurança Nacional Henry Kissinger; é o que conta Matias Specktor em Kissinger e o Brasil. A verdade é que lendo Matias o que se deduz é que os Estados Unidos não estavam nem aí para o Brasil e seus generais e menos ainda para a diplomacia brasileira! Os norte-americanos não tinham nenhuma intenção de “empoderar” o Brasil, mesmo que fosse para manipulá-lo, pois o gigante bobão era considerado país amigo, leia-se, faz tudo o que seu mestre mandar e nação “desimportante” no xadrez mundial bipolar disputado contra a poderosa Rússia!
Os EUA tinham coisas grandes a conquistar entre elas: a Lua (1969), abrir parceria com a China comunista (1972), fechar Tratado de não-proliferação de bombas atômicas com os socialistas/comunistas russos- URSS (1972), encerrar a derrota, ops, guerra com o Vietnã (1973), policiar questões entre Israel, Egito, Síria; lidar com a crise do petróleo no Oriente Médio, etc e o caso Watergate que culminou com a renúncia de Nixon em 1974!
O risco do Brasil ser apoderado pelos comunistas era zero após o golpe militar de 31-03-1964. As “vacas fardadas”, auto-denominação dada por um general, preocupavam-se somente com os superávits na balança comercial, perseguir, prender, torturar, matar sadicamente brasileiros que lutavam contra a ditadura e desfilar suas fardas, forças!
A parceria Estados Unidos - Brasil, se existiu, não saiu do papel e cabeças de Kissinger e Silveira, o diplomata brasileiro; fato que se conclui da pesquisa e análise da correspondência entre ambos por Matias.
Para Kissinger os Estados Unidos é uma potência ambivalente “Agindo em nome de toda a humanidade” e, claro, impondo sua Ordem mundial, Brasil incluso! Por ambivalência entenda-se: sob o extenso véu de “destino manifesto” tem os EUA a missão divina de levar aos infiéis o culto e louvor aos valores da “liberdade”, república e democracia (está última não necessariamente louvada fora da América) camuflando a ambição, motivação imperialista voraz, cruel e infinita de Tio Sam! Só para constar: toda nação metida a império recebeu a mesma "missão divina"!
Desde o último quartel do século XIX, os EUA eram assumidamente uma grande potência que se estabeleceu de vez como superpotência com louvor no curto século XX marcado pelo Crash da Bolsa em 1929; duas Grandes Guerras mundiais que arrasaram com as potências europeias e Japão e tendo como oponente apenas um rival de peso: os  super empedernidos  e imperialistas russos durante a Guerra Fria. O mundo se dividiu em dois blocos: capitalistas liderados pelos Estados Unidos e comunistas liderados pela URSS-União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (leia-se Rússia). O que impediu uma superpotência de engolir a outra? A bomba atômica, pois tanto russos como americanos sabiam que uma terceira guerra mundial atômica seria entrar numa fria ainda maior!
Os norte-americanos estavam construindo uma nação "do meio do nada" a partir do século XV, período do descobrimento do novo mundo enquanto os russos estavam se expandido territorialmente expulsando os tártaros e  se impondo e construindo um império de dar inveja e açular a cobiça das potências europeias com Ivan-o grande; Ivan-o terrível; Pedro-o grande; Catarina-a grande. Aliás, tudo que se refere à Rússia é grande e terrível: um vasto continente frio, poderoso, grandioso e geopoliticamente astuto, inteligente, cruel, dono de imensas riquezas como petróleo e gás natural que abastecem uma enormidade de países, Europa inclusa. A dependência energética é a principal arma geoestratégica que permite "os abusos" da Rússia contra os vizinhos e calam os europeus diante de todas as atrocidades de guerra cometidas pelos russos contra seu próprio povo, os soviéticos, em todo o século XX. A  dificuldade em vencer a força russa: vastidão territorial, clima extremado e principalmente a lealdade, coragem e resistência do povo às inúmeras adversidades, além do caráter duro, empedernido e sanguinolento dos que comandam acabou por criar no senso comum dos brasileiros a expressão: a coisa está russa para grandes dificuldades e perrengues da vida! Quando no Brasil alguém afirma que "A coisa tá russa" saiba que é praticamente impossível vencer o obstáculo mesmo dispendendo muitos esforços e força extra! Se o negócio está russo vai dar merda! É lei.
Enquanto os EUA criavam uma poderosa nação, no mesmo período o Brasil passava de colônia de exploração portuguesa [1500-1822] a império explorado por ingleses, portugueses, holandeses, franceses e etc [1822-1889]. República velha de 1889-1930 dominada por oligarquias coronelistas, latifundiárias, escravagistas, o país entra na República nova [1930-1935] fundada por Getúlio Vargas que em seguida cria um "estado novo", ditadura cruel, sanguinolenta [1935-1945]. Com um golpe, Vargas reorientou a economia para a industrialização marcando o início do capitalismo no Brasil incentivando a “substituição de importações”, a indústria de base.
Em comum, EUA e Brasil tem o "nascimento" e a colonização por europeus (espanhóis, franceses, ingleses, portugueses, holandeses...). São duas nações que se fundaram "do nada" em terras "desabitadas" por milhões de indígenas. Conta-se que "Antes que o homem aqui chegasse as terras brasileiras eram habitadas e amadas por mais de três milhões de índios, proprietários felizes das terras brasilis": Tupis, Guaranis, Tapajós, Aymorés, Carijós, Caetés, citando alguns exemplos. O mesmo se canta sobre as terras norte-americanas: Apaches, Sioux, Cheyenne, Cherokee, Comanche e etc. 
Se o Brasil "inspirou cuidados" geoestratégicos e geopolíticos aos Estados Unidos, estes foram provocados por Fidel Castro que abriu para os "latinos" a alternativa ao capitalismo, o comunismo russo.  O espalhamento da opção comunista atraiu a América Latina e reacendeu o comunismo no país que praticamente estava morto e sepultado por Vargas na perseguição e dizimação da "Intentona comunista de Prestes e dos integralistas". Vargas não era fã de tio Sam e flertava abertamente com Hitler; flerte abortado ali no nascedouro quando o Brasil foi à Segunda Guerra Mundial logrando tanto gregos como troianos, ops, russos e alemães.
A geoestratégia dos norte-americanos para o Brasil a partir de então foi a consolidação do capitalismo com transferência de indústrias, principalmente as indústrias "sujas", altamente poluidoras, fazendo vistas grossas à ausência de liberdade, justiça, democracia, direitos humanos e "expurgos" dos ditadores. A internacionalização de indústrias e capitais matou dois coelhos com uma cajadada: fortaleceu a hegemonia dos Estados Unidos na América Latina e barrou as aspirações comunistas da Ordem socialista/comunista da URSS-Rússia abaixo da linha do Equador!
A enxurrada de capitais alimentou o desenvolvimentismo de Juscelino Kubistcheck, o JK e o sonho de acelerar o crescimento do Brasil - 50 anos em 5 - agradou aos  conservadores e ditadores e jogou o país num endividamento externo absurdo e cativo ao Fundo Monetário Internacional.
Brasil quem te USA (Unit States of América) não te AMA denunciava a esquerda nas primeiras eleições livres e democráticas de 1989! Brasil mostra tua cara quero ver quem paga pra gente ficar assim. Brasil qual é o teu negocio, o nome do teu sócio confia em mim virou hino nos anos Oitenta. Considerada década perdida, mas na verdade um período onde floresceu as artes, a participação popular, as ações da sociedade civil; mas também  o aumento do endividamento pelos juros exorbitantes pagos ao FMI, a expansão geográfica horizontal das favelas, o aumento da desigualdade social, enormes bolsões de miséria nas metrópoles, cidades grandes e médias, concentração de riquezas, corrupção e superfaturamento de obras públicas, especulação financeira, uma "paisagem "vale tudo" que dará origem aos ricos "emergentes"! 
A "coisa" para os Estados Unidos ia de vento em polpa na América Latina tanto no aspecto econômico, financeiro, político e diplomático e tendia a melhoras com a nova "onda" do império: globalização e  neoliberalismo que primeiramente foi um experimento no Chile em plena ditadura do carniceiro Pinochet em september 11, 1973! Do Chile para o mundo: Thatcher na Inglaterra(1979); Reagan nos EUA (1980); Helmut Kohl na Alemanha (1982) e Brasil (1990). O neoliberalismo aportou no Brasil no jetski de Collor que abriu as "portas e as pernas" da nação ao discurso único neoliberal e às prescrições do Consenso de Washington. Rezando a Cartilha neoliberal Collor centrou fogo ao estatismo de Vargas com artilharia pesada contra o funcionalismo público. A corrupção derrubou Collor em 1992, mas o plano neoliberal frutificou e prosperou com FHC, o rei das privatizações, salvamento de bancos, concentração de riqueza, reforma da previdência, ataques aos direitos sociais e trabalhistas (custo Brasil), arrocho salarial e cortes nos gastos públicos. O sub-investimento em áreas como alimentação, moradia, segurança pública, saúde, educação, transporte público elevará a violência, a insatisfação geral com os políticos e corrupção e aumentará estratosfericamente o número de pobres e miseráveis em todo o território nacional! O desmonte do Estado e o ataque ao populismo econômico (conquistas sociais, direitos trabalhistas) dará cabo a FHC-PSDB e levará à ascensão o PT e Lula. 
Os EUA também não precisariam se preocupar com o governo petista que de comunista nunca teve nada, não interrompeu os lucros capitais dos capitalistas e nem o fariam e tudo poderia ficar "como dantes no quartel de Abrantes" não fosse o revanchismo, o sentimento de vingança, raiva, ódio, rancor ao PT entranhado no bico e coração do PSDB, ops, dos tucanos! Após quatro derrotas seguidas para os petistas, duas para Lula e duas para Dilma, o PSDB e aliados, destaque para  Tio Sam, rede Globo e Fiesp resolveram aplicar um verdadeiro golpe de estado no Brasil. A deposição do PT ou "A porcaria no poder" se inicia no dia seguinte à posse de Lula em 2003, ganha força em 2005 com o Mensalão PT e se concretiza em 12-05-2016 com a deposição de Dilma Rousseff num golpe de estado Lava jato PT! Os problemas para os EUA no Brasil terminaram. Só que não!
Mas o que fez Lula para desagradar tio Sam? Praticamente nada, se nada for relativo aos programas sociais voltados para os trabalhadores baixa-renda, pobres e miseráveis, uma verdadeira miséria, mas que garantiu ao PT quatro mandatos interrompidos com o golpe "impeachment".
www.google.com.br/images

O que realmente aconteceu no Brasil para que a nação virasse missão e meta geoeconômica e  geoestratégia para os Estados Unidos?
Resposta curta e grossa: a principal e mais mortífera arma bélica da atualidade: a descoberta(?)* em 2007 dos mega campos petrolíferos e de gás natural da camada pré-sal! O tempo todo, todas as estratégias e estratagemas tramados contra os petistas estavam ligados ao peso geopolítico que o pré-sal daria ao Brasil na balança mundial da partilha do poder entre as potências e principalmente o mega poder que dá aos Estados Unidos que não só se liberaria em uma única tacada das imposições e ameaças dos países exportadores de petróleo do Oriente Médio** e principalmente do controle russo sobre a Europa!
O petróleo é a base energética mundial e continuará sendo por uns bons séculos, é o que pretendem os Estados Unidos e o que os manteriam com o cetro e coroa de imperadores do planeta! A missão de apossar do pré-sal poderia ser barrada por um "governo populista" que não só reelegeu Lula como elegeu e reelegeu a ministra de Minas e Energia Dilma Rousseff.

www.google.com.br/images. Pré-sal patrimônio da União. O petróleo é nosso! Eis o verdadeiro horror geoeconômico, geopolítico e geoestratégico para os EUA! 



A saída: colocar para fora "A porcaria no poder". Como? Inviabilizando o primeiro governo Dilma Rousseff, golpe frustrado pelo boom de crescimento econômico no país desde 2007 e a euforia da população com a descoberta do pré-sal! O jeito foi apostar no maior crime de corrupção de todos os tempos-os crimes da Lava jato - investigando seletivamente os crimes ligados ao PT e manipulando psicologicamente a população contra Dilma, Lula, PT e o número 13! A operação que deflagrou o início da Lava jato veio a público em março de 2014 ano das eleições presidenciais e um acordo entre os partidos envolvidos permitiu  a não contaminação das eleições (tanto PT como PSDB eram suspeitos de crimes na Lava Jato) e Dilma Rousseff acabou levando a melhor! Frustrados os sonhos de apossar do pré-sal via PSDB, o jeito foi Tio Sam, com ajuda da mídia (Globo, Bandeirantes, SBT, Record) criar uma paisagem de terror  contra os petistas e conduzir tanto o impeachment como as grandes manifestações a partir de março de 2015 que justificariam até uma intervenção dos norte-americanos no país!
Destruindo o PT, Lula e Dilma o caminho estava aberto para colocar um fim nas investigações da Lava jato, limpar a ficha dos principais partidos e políticos corruptos e de quebra apossar-se do pré-sal! A Odebrechet "sugeriu" a possibilidade de impeachment através de estudos profundos de Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal, ambos ligados ao PSDB e amparados por Hélio Bicudo ex-PT, os denunciantes. O crime de Dilma: pedaladas e assinatura de decretos sem autorização do Congresso Nacional. Estava armado o golpe que se cristalizou em 12-05-2016. O Plano A: sai Dilma, entra Michel Temer, convocação de novas eleições e volta triunfal do PSDB para um brilhante e refulgente tucanato! Mas...
Resultado de imagem para pre sal lula dilma
www.google.com.br/images. Auto-suficiência e know how em prospecção, refinamento, distribuição e venda de petróleo e gás natual, mas a ordem é "sentar no barril" jogar os preços no chão e F* OPEP e russos! Simples assim! Alegria de pobre dura pouco.

A coisa foi ficando russa; no meio do caminho havia uma pedra: PMDB, grupo oligárquico coronelista, latifundiário e escravagista mais corrupto do Brasil! O PMDB que domina a corrupção no Congresso Nacional com Eduardo Cunha e Renan Calheiros agora tem a presidência da República, Michel Temer e ao contrário do PSDB, partido subserviente ao Estados Unidos, os corruptos do PMDB não entregam o osso, ops, pré-sal sem garantir seu parasitismo hereditário e parte da divisão das riquezas e dos assaltos aos cofres públicos tão facilmente! Não entregam barato, diga-se de passagem e são especialistas em cobrar altíssimas propinas. Não é o único partido corrupto, mas ocupa a pole position juntamente com o PP, PR, PSDB, PRB, DEMO's, PT, citando os principais  dos 28 partidos envolvidos nos crimes de corrupção da Lava Jato.
www.google.com.br/images. 28 partidos receberam e cobraram propinas; o PP é o partido que mais investigados tem na operação Lava jato; o Ministério Público Federal focou apenas no PT, PP, PMDB; Aécio Neves e irmã , Anastasia, Romero Jucá e muitos outros políticos do PSDB estão envolvidos nos crimes da Lava jato e estão BLINDADOS! A missão é destruir o PT.


Agosto de 2016: Agora, de qualquer ângulo que se olhe "A coisa tá russa"! Noventa dias após a usurpação do poder e a canalha não consegue governar o país nem conduzir as "reformas profundas e privatizações necessárias" para tirar o país da crise política que eles mesmo criaram e tudo porque em ano de eleições municipais em 5.570 municípios, há uma luta intestina por prefeitos e vereadores! O PT saiu na frente: recuou para base, deixou Dilma na linha de frente sozinha para salvar sua "biografia" de luta pela liberdade e democracia contra as "vacas fardadas". 
Dilma não volta? Dilma Volta? 
Michel Temer, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, principais envolvidos na Lava jato, medalha de ouro em corrupção, ficarão no poder até as eleições de 2018 ou convocaram novas eleições a partir de 29-08-2018?
 E o PSDB? Além de arrumar a "cama-de-gato para o PT e entregar o país de bandeja para o PMDB aceitará a mera "governança" e  ser the biggest loser na indigesta gestão Temer? 
Claro que depois do PT o alvo pemedebista se voltará para os tucanos, segundo maior partido em número de municípios e de deputados e senadores e corrupção! Parlamentar meu caro Watson, ops, elementar!