Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 17 de março de 2016

Constatação IX "PMDB que está unindo interesses agora com o PSDB para “caminharem juntos”

RUMOREJANDO



http://rimasprimas.blogspot.com.br/
PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Por que será que, em todo o Brasil, nenhum governante se preocupou em
 fazer hospitais como o de Campo Largo no Paraná, o Hospital do Rocio,
 onde 97% são pacientes do SUS?

Constatação II (Teoria da Relatividade para principiantes obcecados).
É muito melhor ver uma gata tirando a calcinha do que ela, a calcinha, 
pendurada num varal.

Constatação III (De uma dúvida crucial).
Com essas aplicações de silicone pelas mulheres no atual volume, será que
 tal produto, se entrar no cálculo dos itens responsáveis pelos aumentos,
 não alterará os índices da inflação?

Constatação IV
Não se pode confundir crase que o dicionário Aurélio dá, entre outros
 significados, como “5. Med. Mistura harmoniosa dos humores corporais” 
com crise, até por que se um casamento, ou como os colunistas sociais
 chamam de esponsais, entrar em crise – tomara que tal não ocorra a ninguém –, dificilmente poderá vir a acontecer uma eventualcrase, salvo se houver uma reconciliação, normalmente coroada com a dita cuja...

Constatação V
E não se pode confundir feição, que o dicionário do Aurélio dá, entre outros,
 como “índole, tendência, caráter” com afeição, que o mesmo dicionário, 
o Aurélio, dá, dentre outros também, como, “1. Sentimento de apego sincero
 por alguém ou algo; carinho; amizade, afeiçoamento”, até por que, se for o
 caso, não será possível ter afeição por quem tem má índole, tendência para 
a corrupção e, consequentemente é mau-caráter. Vige!
Constatação VI (Quaisquer semelhanças com os últimos governos
 não é mera coincidência...)
E não se pode confundir opressão com depressão, até por que quem 
sofre opressão, de qualquer espécie, corre o risco de ter um enfarte, 
uma doença psicossomática, se for aposentado ver cada vez mais seu
 minguado dinheirinho ser corrigido – se vier a ser – abaixo da inflação e,
 claro, acabará sendo acometido, também, de uma terrível depressão.
Constatação VII
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Convenção dá 
início ao processo de afastamento do PMDB do governo”. Alguma
 dúvida? Alguma surpresa para alguém?
Constatação VIII
Na foto que ilustra o que foi citado, na constatação anterior, sobre a 
convenção do PMDB aparece uma bandeira ou algo similar com o
 dístico: “PMDB” e um pouco abaixo “UNIDOS PELO BRASIL”. 
Data vênia, como diriam nossos juristas será que os pemedebistas 
que se locupletaram com as falcatruas, fraudes e outras barbaridades
 do governo do PT concordam do tal ‘Unidos pelo Brasil’? 
Quem souber a resposta dessa dúvida crucial de Rumorejando
por favor, comentários no blog. Obrigado.

Constatação IX
Ainda sobre o PMDB que está unindo interesses agora com o PSDB
 para “caminharem juntos”: “PMDB deverá dar ‘aviso prévio’ para
 deixar governo Dilma”. Gente com ética é outra coisa... Vige!

Constatação X (Será que alguém se salva?)
O senador Delcídio Amaral, na sua delação premiada acusou o
 candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves,
 de também ter levado o dele sem que lhe fosse devido. Em nosso 
sofrido país, corruptos são sempre os outros...
Constatação XI (Para o meu professor, em 1950, do Colégio 
Estadual do Paraná Estevam Piceski. In memoriam).
Insistente,
Queria colocar
Na boca um tesouro
Um dente
De ouro
Bem na frente.
“Pago pro senhor a vista”.
“Por que?”, perguntou o dentista.
“Por que tais decisões,
Se a sua dentadura
É perfeita?”.
E o cabeça-dura:
“Por várias razões:
Aí, a vizinha não mais me enjeita.
Daí, eu acho que ela me aceita
Para eu com ela casar
E também é pra alumiar”.
Constatação XII
Juntou um caraminguá
Pra ir ao estádio
Ver o meu Paraná
Que raramente me dá satisfação
Seja na televisão
E também na transmissão
Do rádio.
Que desilusão!
Que decepção!
Constatação XIII
Penteou
Com escova de aço,
Com muito desvelo
O seu encaracolado
Cabelo
Um chumaço
Na escova se revelou.
Ficou apavorado.
Coitado!
Constatação XIV (E como já dizia o poeta: “Sonhar é preciso”).
Que bonito o futebol jogado pelo time do Barcelona! O meu Paraná 
não vem jogando mal. Se continuar assim arrisca jogar tão bem, ou
 melhor, que o time catalão. Tenho humilde e ‘sonambulantemente’ dito!

Constatação XV
O foguista
Do trem Maria Fumaça
Teve a sensação
De uma desgraça
De ter uma faísca
No coração,
Pois
Desconfiou
Que era corneado
Pelo maquinista.
E acessou
O seu pisca-pisca
De prestar mais atenção.
No comportamento
Perebento
Dos dois:
Do colega João
E da sua Francisca.
Coitado!
Constatação XVI
Indefeso
Sentiu-se preso
Ao ser levado,
Totalmente aperreado,
Num homérico porre
Para o doce lar,
Pois sabia
Que haveria briga.
Foi jogado,
Arremessado,
De modo arrevesado,
Pelo fiel amigo,
Bem teso,
No jardim.
A mulher se pôs a gritar:
“Pobre de mim!
Por que não morre
Seu bêbado de uma figa.
E esse batom no teu umbigo?
Andou com uma qualquer”.
E o pau cantando,
Acompanhando
De modo sincopado
O que ela dizia.
Coitado!
Coitado?
Constatação XVII (Matemática financeira para principiantes).
Juros compostos são aqueles que, num determinado tempo, se junta
 ao capital para produzirem juros novamente até que o cidadão não
 possa mais pagar ou a empresa quebrar. E mais, para tornar o
 banqueiro, que não se importa se tem ou não fila no seu banco,
 ficar cada vez mais rico até que, na sua morte, o banco se degringole,
 pela briga dos herdeiros, como qualquer outra empresa.

Constatação XVIII
E já que falamos no assunto, nunca se ouviu falar que um banqueiro 
tenha doado seu coração em vida para um transplante após a sua
 morte porque não se doa àquilo que não se tem...

Constatação XIX
E quando o professor disse para os alunos: “A aula de hoje é discussão
 das equações de segundo grau”, todos os alunos se retiraram. 
O representante da turma explicou: “Professor, não se ofenda, é 
que a nossa turma houve por bem, depois da última briga com os 
colegas da turma da tarde, por causa de um jogo de futebol que
 nem chegou a acabar, não mais participar de brigas e discussões”.

Constatação XX (Diálogos rimados com final catártico).
Inseguro
Ele se sentiu
Depois de se esfalfar
De dar
Um duro
E na hora de receber
O pagamento
O paspalho
Para quem foi fazer
O trabalho
Saiu
Da linha:
Admitiu
Que não tinha
Recebido
Aumento
Para quitar
O que era devido.
“Por que me contratou?”,
Perguntou.
“Para impressionar
A minha namorada”.
“E como eu impressiono
A minha?”,
Tornou a perguntar.
“Isso é problema seu
E não meu.
Eu não posso perder
Meu sono.
Eu lá tenho jeito
De burro?”
E ainda deu uma gargalhada.
“O senhor, para não me pagar,
Tem muito peito”.
E lá foi um murro
De derrubar um elefante
Daqueles adulto, não um infante.
Bem feito!
Constatação XXI (Com linguajar culto sem ser sofisticado
 de um prezado leitor que obriga a gente recorrer ao auxilio 
de pelo menos um dicionário e outros meios para a devida consulta).
Na semana passada, Rumorejando publicou na 
“Constatação XVIII (Dúvida crucial)”. “A mulher que dorme de calcinha
 ela está infringindo a Constituição ao impedir que ‘todo o cidadão tem 
o direito de ir e vir livremente’?”.  Rumorejandorecebeu uma resposta
 de um leitor assíduo da coluna que pediu anonimato e que transcrevemos
 a seguir: “[...] Quanto à dúvida crucial (Constatação XVIII), cumpre-me 
dizer que, para muitos parceiros, o fato de a mulher dormir de calcinha
 não é obstáculo algum para o contubérnio*. Para muitas, cabe ao parceiro 
tirar a calcinha, pois faz parte do ludus amoris**. Além disso, estou 
convencido de que tirar a calcinha da mulher amada é uma das tarefas
 mais nobres e prazerosas tanto para o homem quanto para ela.
 Opinião minha, claro.
Um grande abraço do leitor e admirador”,
 (seguiu-se a assinatura com firma devidamente reconhecida em cartório).
*Contubérnio =Substantivo masculino.
1. Vida em comum; familiaridade.
2. Convivência, camaradagem:
3. Mancebia, concubinato, amigação (Aurélio). [Grifo de Rumorejando].
** Ludus amoris = O jogo do amor (Google). [Grifo de Rumorejando].

Constatação XXII (Vige!).
Sorvi um chimarrão
Com erva-mate orgânica
Junto com uma britânica
Que queria acrescentar
De açúcar, um torrão,
Achando que iria melhor ficar.
Constatação XXIII
Também deu na mídia, no Estadão: “Delfim Netto, ministro do 
‘Milagre Econômico’, ‘de dividir o bolo’ (jamais dividido) é
 citado em delação sobre Belo Monte”. Não sei por que, mas, 
na época, ele foi apodado de “gordinho sinistro”. Vige!
Constatação XXIV
Entre os estudantes de quaisquer cursos, há aqueles que tomam nota
 de tudo que o professor expõe; há aqueles que levam um minúsculo
 gravador de bolso e gravam a aula dos professores; há também, entre
 os que tomam nota da aula que dos professores sem que não copiem 
tudo que é enunciado. Estes alunos, numa espécie de peneiração, 
ou censura, ou seja, por alguma razão lá deles, somente tomam nota 
daquilo que eles acham que devem. Isso tudo faz lembrar a história 
que se conta que um conferencista inglês, professor, estava expondo,
 uma palestra, na China, um tema, um tanto quanto complexo que um
 interprete traduzia, também professor da mesma matéria, depois de 
uma breve pausa do conferencista para permitir que fosse feita a tradução.
 Muitas vezes, o interprete não traduzia certos trechos. Aí, o conferencista
 prosseguia, após se inteirar o mutismo do interprete. Quando terminou a
 conferência, o inglês perguntou ao colega chinês a razão de ele não 
traduzir certas partes da explanação. Daí, o chinês ponderou:
“Aqui na China a gente só traduz o que é importante...”

RICOS & POBRES.
Constatação I
Rico ganha regiamente; pobre, porcamente, digo, parcamente.
Constatação II
Rico pula de uma sigla partidária para outra quando o barco que lhe era 
simpático ou conveniente começa a afundar; pobre sempre vive numa
 canoa furada.
Constatação III
Rico mora debaixo da ponte, num iate de ene pés no rio Sena, em Paris;
 pobre, mora debaixo da ponte, não exatamente nas mesmas condições 
anteriormente descritas...
Constatação IV
Rico dá um apartamento de cobertura para a amante; pobre não 
paga a pensão alimentícia.
Constatação V
Rico tem dinheiro em profusão; pobre vive na pindaíba.
Constatação VI
Rico é conspícuo (notável, eminente, distinto, ilustre); pobre, é 
desconhecido (não necessariamente ilustre).