Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

BRAZIL: RUMOREJANDO AS "COISAS DA VIDA" com José Zokner, o Juca!

RUMOREJANDO

Minha foto
http://rimasprimas.blogspot.com.br/
PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Um terço dos paulistas espera mais de seis meses por atendimento no SUS, diz pesquisa”. E viva “nóis” que esperamos também nos demais municípios do país. Por favor, senhores governantes, parem de dizer que o problema da Saúde está resolvido. Obrigado pela atenção e por uma eventual providência para tal fato não mais acontecer. E, claro, atenção para a Saúde, Educação e Segurança prioritariamente.
Constatação II
Também deu no Estadão: “Dom de criar piadas parece mais fácil para quem vive próximo à psicose e ao humor, diz psiquiatra”. Espero que as tentativas de fazer humor deRumorejando não sejam consideradas de cunho psicótico. Vige!
Constatação III
Este assim chamado escriba, chimarrólatra desde os tempos imemoriais, acha que em quaisquer condições de clima, pressão e temperatura é assaz recomendável tomar um chimarrão, mate amargo, amargo, caá, caaetê, chá-dos-jesuítas, congonha, congonha-mansa, congonha-verdadeira, congonheira, erva, mate-do-paraguai, pau-de-erva e outros epítetos para essa bebida que apareceu primeiro no Paraná, trazida pelos índios guaranis e depois foram apossadas pelos meus irmãos gaúchos. Basta a gente dizer que é adepto do chimarrão para que as pessoas incontinente, por hábito, perguntem: “Você é gaúcho?”
Constatação IV
Tá certo que a democracia brasileira está apoiada nos três Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Será que se eliminasse o Poder Legislativo substituindo-o por elementos da Sociedade que trabalhariam de graça, i. e. por amor à pátria, não haveria uma dinheirama sobrando pela economia que se faria não só pelos altos salários, mas a fraude ficaria reduzida a valores ínfimos? Não é de se pensar, gente boa, embora pareça utópico? Comentários no blog. Obrigado.
Constatação V
Quem se candidata a miss bumbum tem um ideal? Aí, quer dizer que raciocinou, usando a cabeça ou o próprio?
Constatação VI
Quando duas pessoas, coincidentemente, me convidam, no facebook, para jogar o mesmo jogo, eu trato de apresentar uma para a outra. Assim, penso que eles me deixarão em paz. O único jogo que eu gosto de jogar – nada a ver com o facebook – com os amigos é truco, que, aliás, até hoje continuo imbatível, mesmo que tenha que carregar o parceiro nas costas. Tenho, modestamente, dito!
Constatação VII (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor ser um gorducho do que um bucho. E também é melhor ser uma gorducha do que ter cara de bruxa.
Constatação VIII (De diálogos elucidativos, na assim chamada Terceira Idade).
Disse um velhinho internauta pro outro velhinho, também internauta:
-“Você sabia que tem gente praticando sexo virtual?”
-“Não é o meu caso”.
-“Quer dizer que você ainda pratica o real?”
-“Também não. Há muito que não”.
-Ah bom, quer dizer, ah ruim...
Constatação IX
Deu na mídia: Fulana* desfilou mostrando celulite no seu – dela – “derrière”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
*Como Rumorejando procura, dentro de possível e do impossível, ser ético, ao contrário de certa imprensa, omitimos o nome da pessoa, certo da compreensão e da aprovação do nosso leitor que também, segundo consta, procura também ser ético
Constatação X
Não se pode confundir silente, que quer dizer silencioso com saliente, que, dentre outros, quer dizer que é espevitado, assanhado, intrometido, até por que quem gosta de aparecer, em condições de pressão e temperatura, ou fora dela, vai querer chamar a atenção de alguma maneira, normalmente falando em voz alta, se metendo em conversa que não lhe diz respeito, “que toma ou permite certas liberdades eróticas; namorador, fogoso” e coisas desse jaez. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho didática e gentilmente dito...
Constatação XI (De uma dúvida crucial via pseudo-haicai).
O cavalo baio,
Quando a gata foi montá-lo,
Olhava pra ela de soslaio?
Constatação XII
E não se pode confundir delegado com alegado, muito embora, uma vez ou outra, ou melhor dizendo quase sempre o delegado, na hora do questionamento não acredita no que está sendo alegado pelo questionado. Coitado!
Constatação XIII
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: “Partidos não pretendem pedir adiamento de propaganda”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que se houvesse um plebiscito para um adiamento para, digamos, 10 dias antes da eleição e no horário da alta madrugada, o apoio para tal deveria ser quase que unânime. Tenho, ao declarar o meu suposto voto, convictamente dito.
Constatação XIV (Colaboração do Amigo Edson Ferreira dos Santos, de Maringá).
Não se pode confundir "doação" com "adoção", muito embora alguns políticos tenham "doado" seus gordos salários da convocação "extraordinária" às entidades filantrópicas, um outro tanto em numero maior, tenham "adotado" para suas contas bancária mais esses honorários, dinheiro dos nossos sufocantes impostos.  
Constatação XV (Dúvida crucial específica).
Amigo Edson Ferreira dos Santos: Nesse caso e/ou dos mensalões da vida são honorários ou “deshonorários”?
Constatação XVI (De dramas do cotidiano, via pseudo-soneto).

       Desfortúnio

Bajulando e a todo custo,
Ele quis subir na vida
Quebrou galho e arbusto
De maneira desmedida.

Comeu pão amassado pelo diabo
E outras coisas que nunca apreciou
Chuchu, jiló, raiz amarga e quiabo
Que até o “terminal” lhe atacou.

Mas a presumida aristocracia
Não teve condescendência
Com o alpinista social.

Sem usar de fidalguia
Passou a falar indecência
Da mãe dele e da sua moral.

Constatação XVII
Ela não se emenda
Só porque o pobre do marido
Quis ir jogar um simples truco
Levou uma pu, digo, baita reprimenda
Que o deixou muito sentido,
Magoado, 
Ofendido.
“Escute, seu aprendiz
Seu maluco
Me diz , 
Seu viciado
Nesse carteado,
Abobado,
Por que não fica em casa
E me dá mais atenção?
Apaga meu fogo, minha brasa
Que tá cada vez mais danada.
Aliás, há muito tempo, 
Você não comparece
Pra esse feliz,
Digamos, passatempo,
Esse bem-querer.
Até parece
Que esquece
A sua conjugal obrigação,
O seu patriótico dever”.
Coitado!
Coitada!
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada em qualquer lugar. Evidentemente, desde que tenha ouvintes dispostos a prestar atenção).
Quando um pobre ri à-toa
Não quer dizer que ele ficou rico
Significa que a pobre da patroa
Está a fim de um namorico.
(Namorico?)
Constatação XIX 
Quando a sogra chamou o genro às falas, porque a filha havia se queixado do seu – dele – comportamento, ele, metido a fazer quadrinhas, respondeu:
“A sua filha,
Assim como a senhora,
A meu respeito coscuvilha*
A toda e qualquer hora”.
*Coscuvilhar = “Fazer intrigas, enredos, mexericos; bisbilhotar, mexericar” (Aurelião).
Constatação XX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão: Jogadores do Barueri não recebem há dois meses e se negam a jogar na Série D. Se esta greve for contagiosa os dois times, deste assim chamado escriba, o Paraná e o Botafogo, são capazes de seguir o mesmo caminho do Barueri. Isso somente para citar dois times, dentre outros, que se encontram em idêntica situação. Vige!
Constatação XXI (E já que falamos no assunto...)
Se existisse, no Brasil, uma casa de apostas, como existe em Londres, quem jogasse que o meu Paraná teria, nas suas parcas vitórias, outra na partida subsequente, sem dúvida perderia a aposta. E se porventura apostasse que o meu Paraná não cai para a terceirona haveria uma grande probabilidade de também perder.
Constatação XXII De diálogos elucidativos. (Pelo menos em intenção).
-Por que você está com os olhos meio vesgos (Rico é estrábico; pobre, é vesgo)?
-É de tanto evitar olhar para o decote generoso da secretaria do patrão.
-E por que você não olhava acintosa e declaradamente? Ele, o decote, está lá para isso. 
-Me parece que ela te olha com olhos prometedores
-Por uma questão de ética.
-Ética? Como assim?
-É. Não se deve misturar as coisas. Na hora de trabalhar, trabalhar. Na hora do entretenimento, entretenimento. Aí, já é também uma questão de moral que, na maioria das vezes, acompanha a ética.
-Ah, bom... Quer dizer, ah, ruim... Quer dizer... Ah ruim, mesmo...
Constatação XXIII (De uma dúvida cruelíssima do livro 150 Sonetos & 1 Sonetão).

                Democracia?

Nos lugares onde grassa a endêmica fome,
Onde não se come ou se come sopa de vento
Ou pastel de assobio, sem que alguém tome
Uma providência para estancar esse tormento.

Políticos se locupletam com dinheiro alheio
Sem ligar para o que se passa ao seu redor
Pra se eleger, jogam pessoas pra escanteio
Sem se preocupar se causam alguma dor.

Dizer que ao morrerem receberão castigo divino
Já que a dos homens funciona precariamente
Soa como uma aleivosia, como algo cretino.

No capitalismo, a Lei da Selva continua a imperar.
O socialismo, a utopia, não decolou tão-somente.
Será que a Humanidade não vai algo melhor criar?

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico, quando fica em segundo lugar, é cognominado, definido, apontado, relacionado de “subsequente”; pobre, como no futebol, numa Copa do Mundo, é um reles vice, ou se houver apenas dois competidores, “ficou em último lugar”.
Constatação II
Rico faz parte de uma lista, de um catálogo, de uma relação importante; pobre se encontra em lugar incerto e não sabido.
Constatação III
Rico vive em mansão; pobre, em barraco.
Constatação IV
Rico pede autofalência; pobre sobrevive dessa maneira.
Constatação V
Rico, chama às falas; pobre, pergunta.
Constatação VI
Rico pratica pesca submarina em alto mar; pobre, conta causos de pescaria na qual nem participou.
Constatação VII
Deputados ricos se valeram do valerioduto e do mensalão; deputados pobres, nunca se ouviu falar que existem.
Constatação VIII
No frio curitibano rico anda de casacão [Casaco longo, geralmente feito de tecido grosso e encorpado, e usado como agasalho contra o frio e a chuva; casaco, capote, manto, sobretudo, sobreveste, balandrau (Aurélio); pobre, anda em manga de camisa].
Constatação IX
Rico é valente; pobre, é fanfarrão.
Constatação X
Rico vive em palacete; pobre, em choupana.

Site: www.rimasprimas.com.br