Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

DEIXANDO BARATO

DEIXANDO BARATO...
Marina da Silva
Até meados dos anos 90 do século XX “andar” de avião dava status, era um meio de transporte elitizado, aristocrático, enfim, “chique nus úrtimos”! As pessoas se trajavam com elegância, desfilavam malas e fraqueiras de grife, levavam platéia para um tchauzinho, tiravam foto dentro e fora do avião e na primeira classe comportavam-se como estrelas... de primeira grandeza, gente do Primeiro Mundo com direito a atendimento VIP até na cabine de controle do avião. Comandantes, aeromoças usavam uniformes de gala, 1º escalão e com sorrisos de canto a canto da orelha encenavam o que fazer nas emergências, serviam refeições apetitosas, sucos, cervejas e até uísque e champanha! Mas ai veio a globalização o neoliberalismo, a flexibilidade e o governo brasileiro numa virada 360º abriu o país aos “povos amigos” privatizando o que era excelente para tornar o país eficiente, mais competitivo enxuto, baixando custos através da falácia da concorrência como fator de excelência, salutar no capitalismo! Apertem o cinto...a qualidade sumiu! A competição – propalavam - seria regulada pela mão invisível do mercado deixando tudo mais barato! Bem, não foi exatamente isto que ocorreu ao transporte aéreo. Viajar de avião a cada ano foi deixando ser  “um barato” e tornando um meio de transporte comum, simplório, sem brilho ou classe tanto nas viagens nacionais como nos vôos internacionais. Viagens 1.99 a preço de R$99.90 podem até ser gol...de bico, mas não é uma Brastemp e muito menos  um show de bola!
Algumas empresas aboliram as refeições, transformaram os trabalhadores em colaboradores flex, isto é, um time que além da faxina nas aeronaves, são vendedores de sanduba, garrafinha d’água e se vacilar produtos Avon, Jequiti, Racco, Natura. Se  a viagem for longa o passageiro tem H2O, refrigereco, barrinha de cereal, salgadinho torcida.. de terceira divisão e bala chita!  Atrasos, over book, gente esparramada pelos saguão, raiva, ira, agressões aos funcionários das empresas, B.O...é caso de polícia!  “Em dezembro, segundo balanço da Anac, os aeroportos brasileiros registraram 13,2 milhões de embarques e desembarques de voos domésticos, valor 2 milhões acima do registrado no mesmo período de 2009. Mesmo com o crescimento, o índice de atrasos acima de 30 minutos permaneceu próximo ao dos últimos anos --por volta de 20%. Os cancelamentos também ficaram no mesmo patamar, cerca de 5% do total de voos programados.” Voar virou um “andar” de avião besta, a aeronave digitransformou-se num aerobusão e em alguns casos um aerobus-leiteiro, transporte de gado! Recentemente fui à Argentina e qual foi minha surpresa quando a mocinha sem aviso prévio e do meio do nada sacou um frasco e jogou sobre os passageiros um spray... de dedetização!? Jesus me abana! Se isso mata de mosquito da dengue, H1N1 e até super bactéria, o que não fará com a cabocla aqui? Senti-me menor que um piolho, menor que uma lêndea! Voltando ao Brasil, paradinha básica em Guarulhos, um espetáculo grotesco: os passageiros adentravam o avião trazendo nas mãos um sanduiche de “mortadela, lanche entregue na entrada da nave com o tradicional “Obrigada” por pegar este busão, ops, aerobusão! Na ida para Buenos Aires o lanche: um mini-pão integral com uma lâmina (tamanho e espessura de gilete) de presunto, queijo, um pedaço de rúcula e um naco de tomate seco regado a água, suco, ou refrigereco foi entregue a cada um em sua poltrona. Pode ser um trem desse? Do jeito que a decadência e precarização geral vem assolando o transporte aéreo, na próxima viagem é bom  ir prevenido: água filtrada, garrafa térmica para um chá ou cafezinho, farofa de galinha,  um bom tropeiro, pastel, enrolado de salsicha, coxinha e um rolo de papel higiênico caso usar o banheiro seja irremediavelmente necessário! Eta nóis e quem anac poderá nos defender! Do jeito que a coisa está nós cidadãos (e consumidores) é que estamos deixando barato, muiiiito barato, de graça mesmo para as empresas!
“Companhias aéreas recebem R$ 2,3 milhões em multas no fim de ano. Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) divulgou nesta sexta-feira um balanço da operação fim de ano, realizada em 11 aeroportos do país na virada do ano para evitar os problemas mais recorrentes entre passageiros e companhias aéreas. Ao todo, foram aplicados R$ 2,3 milhões em multas entre 17 de dezembro e 7 de janeiro. As multas foram aplicadas em 329 autos de infração abertos pelas equipes de fiscalização da agência. Destes, 244 autos foram para as empresas TAM, Webjet e Gol. As companhias Azul, Avianca e Trip não tiveram nenhuma irregularidade comprovada até o momento. O restante das infrações foram cometidas por companhias estrangeiras.” 21/01/2011