Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 24 de outubro de 2015

BRAZIL POBREZA. CARRINHO DE SUPERMERCADO: A MISÉRIA DE BELO HORIZONTE.


O ESTRANHO CASO DOS CARRINHOS DE SUPERMERCADO

PARTE I
Resultado de imagem para rede pluvial bh carrinho de supermercado
www.google.com.br/images. Rico compra em  hiper mega blaster supermercados; pobre compra fiado na vendinha do  Seo Lolô.

Marina da Silva

 A cidade de Belo Horizonte, uma das metrópoles regionais do riquíssimo país Brasil e capital do estado de Minas Gerais, acordou ontem, isto é, veja, ontem mesmo, totalmente bege, passada, amassada, oca com as manchetes dos principais jornais do país [mídia escrita, falada, televisada, radiada; redes sociais internet: Youtube, Facebook, Twitter e WhatsApp zazapis] com a mais bizarra, estranha e medonha notícia:

"Galerias pluviais "abrigam" carrinhos de supermercado e geladeiras nas galerias pluviais em BH". http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2015/10/22/galerias-pluviais-abrigam-carrinhos-de-supermercado-e-geladeiras-em-bh.htm


Ramon Lisboa/EM/DA Press
http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2015/10/20/interna_gerais,699785/limpeza-de-galeria-revela-descaso-com-meio-ambiente-em-bh.shtml/ "Mais de 40 caçambas já foram lotadas com resíduos que poderiam causar entupimento (foto: Ramon Lisboa/EM/DA Press)"


Porém, mas, contudo, todavia há mister um pequeno esclarecimento: nem todos os indivíduos e pessoas que vivem, moram, trabalham, estudam, fazem negócios, etc e tal em Belô sentiram este pasmo com o "estranho caso dos carrinhos de supermercado nas redes pluviais e de esgoto de Beagá".
E isso porque existem pessoas que realmente enxergam e veem tudo o que ocorrem pela cidade! Outros enxergam super bem e não veem nada de anormal na normalidade  da desadministração dos políticos brasileiros, Beozonti inclusa desde tempos remotos atrás e principalmente nestes 15 anos  de Brasil  5ª potência capitalista Bric's BBB do século XXI! Esse fenômeno, estudado e escarafunchado por Denis Diderot, delator da cegueira que enxerga e da audição que ouve está nos clássicos "Carta sobre cegos e Carta sobre surdos e mudos". 
Resultado de imagem para carta sobre cegos denis diderot
www.google.com.br/images.

O maior, isto mesmo, o maior jornal dos mineiros em tamanho físico, esboçou a seguinte reação a este enorme despautério: carrinhos de supermercado (até agora uns 15), geladeiras, colchão, e outras utilidades do lar  entupindo as galerias pluviais da cidade? Ato de vandalismo contra o meio ambiente natural da natureza! 
Carrinho de supermercado encontrado nas galerias do córrego Acaba Mundo
http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2015/10/22/galerias-pluviais-abrigam-carrinhos-de-supermercado-e-geladeiras-em-bh.htm

"Técnicos da Sudecap não têm ideia de quem possa ter feito o descarte irregular do material. Os carrinhos, no entanto, não são os únicos objetos inusitados encontrados em galerias espalhadas pela cidade. De acordo com Marcelo Cardoso Lovalho, gerente de manutenção de drenagem da Sudecap, durante o processo de limpeza desses canais subterrâneos, são encontrados, além de detritos, objetos dos mais variados tipos. As equipes se já se depararam com colchões, pneus, camas, geladeiras, fogões, além de móveis, brinquedos e animais mortos. Lovalho chama a atenção para o fato de esse material exigir uma destinação correta, na hora do descarte, em razão do risco de represamento da água pluvial (decorrente da chuva) "aumentando consideravelmente o risco de inundações nessas áreas". Notícia UOL . A culpa é da Dilma!
Mosaico a partir de www.google.com.br/images. Para onde vai o dinheiro destinado ao socorro das cidades atingidas por enchentes? Mistério.
"A limpeza e reestruturação da galeria do Córrego Acaba Mundo, que fica sob a Avenida Uruguai, entre outras vias do Bairro Sion, Centro-Sul de Belo Horizonte, demonstra a falta de cuidado de parte da população com o meio ambiente. Além de grande quantidade de areia, cascalho e terra, pelo menos 12 carrinhos de supermercado estão entre os muitos objetos que vêm sendo retirados. Somente nesta terça-feira foram retirados três carrinhos."Notícia UAI. 

A culpa é "falta de cuidado de parte da população com o meio ambiente".
A mediocridade administrativa começando pelo prefeito, secretariado, assessores, asseclas e caindo na câmara de vereadores que portam o mesmo status dos desadministradores executivos de Minas Gerais e BH é histórica e contada por Fernando Sabino, O grande Mentecapto! O jeitinhocome-quieto dos políticos de Minas Gerais, destaque para capital e governo do estado, dá azia, indigestão, diarreia e principalmente dá nos nervos daqueles que enxergam e veem as torpezas administrativas e as condições sócio-econômica-política dos seus mais de 2.500 milhões de habitantes! 
Característica histórica do Brasil república, a crescente disparidade econômico-social entre riscos e pobres está nos dados estatísticos e na cara! Mesmo com todas as "limpezas humanas nas urbes" não há como dar sumiço nos milhões de pobres e miseráveis no país, principalmente nas metrópoles e grandes e médias cidades e quiçá pequenas, micro e nano cidades também!


Foto Marina da Silva. Belo Horizonte, ao fundo serra do Curral. Vista   [Av. Raja Gabaglia] para os que enxergam e nada veem.


Está estampado na serra do Curral, acompanhando  rios, córregos, riachos. Está debaixo de cada viaduto, ponte, galerias pluviais e da rede de esgoto de Belô, a cidade que um dia maravilhou um papa com seu belo horizonte! Detalhe: sua Santidade viu BH lá do alto da Serra do Curral, a  riquíssima região do bairro e parque Mangabeiras, zona Sul de Berizonte! 
Foto Marina da Silva. Belo Horizonte, ao fundo Serra do Curral, complexo de favelas da Serra, favela Morro do Papagaio. Mesmo local, dia, hora. Vista para os que enxergam e veem ricos e pobres, edificações de alto padrão e favelas, a cidade "formal" e os aglomerados de favelas.


Sobre a arte de administrar, o mesmo que política [geoestratégia e geopolítica] diz Maquiavel em "O Príncipe", algo mais ou menos assim: se um indivíduo no poder quer governar sem muitos atritos e instabilidades docorpo socialleia-se povo, ele deve ir ao ponto mais alto da cidade para ver seus domínios e a possibilidade de aumentá-lo ou o perigo que corre  de perdê-lo estabelecendo a partir de então suas geoestratégias; mas ele  deve olhar também e conhecer com apuro e de muito perto lá em baixo, na planície onde o povo vive e conhecer bem os costumes, crenças e principalmente predisposições dos habitantes em apoiá-lo...no governo ou na forca! 
Para o corpo político, leia-se parasitas que penetram no governo e sua estrutura de poder por todas as vias, principalmente as escusas, o jeito é agradá-los, o mesmo que enchê-los de riquezas, comprar votos, pagar propina, dividir o assalto aos cofres da república mantendo assim a fidelidade que sempre está com quem dá mais no toma-lá da cá!
No Brasil os políticos fazem o mesmo gesto geopolítico e geoestratégico sempre lá de cima, bem do alto e o mais afastado possível do povo, evitando qualquer contato olho-no-olho, face to face, corpo-a-corpo para além dos períodos eleitorais, o que no país ocorre, inexplicavelmente, a cada dois anos. Então não é de se espantar que o jornal dos mineiros em tamanho e o jornal mais vendido o pequeno Super (escrito com o sangue de mulheres mineiras assassinadas todos os dias) publiquem estupefatos e estáticos a absurdidade e estranheza do "caso dos carrinhos de supermercado nas galerias pluviais".
Se eles descessem até a praça da Liberdade, praça Raul Soares, praça da rodoviária, ruas centrais e encarassem qualquer bairro de BH , usando os carros, helicópteros e aviões públicos, veriam a miséria administrativa na pobreza desadministrativa desde  os governos aécio/pimentel/anastasia/lacerda, os quatro cavaleiros da esquerda apocalíptica daquela, que um dia, foi a Cidade Jardim com seus belos horizontes e ares franceses e favelas!
Foto Marina da Silva. BH. Av. Andradas entre praça da Estação e Parque Municipal. Olhando, enxergando, vendo e denunciando dezenas de moradores de ruas espalhados no entorno.


A quantidade de carrinhos de supermercado nas avenidas, ruas, praças, parques, enfim, espalhada em Belo Horizonte está proporcionalmente ligada ao aumento da exploração, expropriação, empobrecimento geral do povo brasileiro, ao novo e voraz ciclo de   concentração de riquezas e  principalmente aumento inexorável da corrupção, principalmente a partir de 2007 (descoberta do pré-sal e início dos programas de aceleração do crescimento, com fortes desvios das verbas públicas na intricada formação de quadrilhas entre empreiteiras, políticos e empresas públicas em todas as obras de infraestrutura e obras públicas da Petrobras. O maior crime de corrupção deflagrado pela operação Lava Jato da PF- polícia federal 2014 e que detalha com clareza para todos que querem mesmo ouvir, escutar, entender, enxergar e ver o que é a apropriação mafiosa, coronelista e patrimonialista do estado brasileiro.
A tentativa de desviar a atenção da população e do país sobre o que vem ocorrendo em Belo Horizonte é apenas mau-caratismo dos desadministradores que controlam e censuram a imprensa mineira. Tudo que acontece em Vegas fica em Vegas; o mesmo ocorre com os desmandos e desgovernos em Belo Horizonte e Minas Gerais.
O sinistro caso dos carrinhos de supermercado não é culpa das crises econômicas mundiais, não é culpa da Dilma, que aliás, faz uma excelente parceria com políticos mineiros  da oposição PSDB, Dilmécio (Dilma/Aécio), é apenas a fisiológica, geoestratégia e geopolítica abjeta de manter o povo na inanição material e espiritual procurando um doutor para ajudar com suas promessas politiqueiras. A pobreza e miséria de milhões faz a riqueza e ostentação de um grupelho político e comparsas!
Fotos Marina da Silva e imagens a partir de www.google.com.br/images


Se fizermos a pergunta: o que carrinhos de supermercado, geladeiras, colchões, sofás, fogões, trempes e fogareiros estão fazendo nas redes pluviais, redes de  esgoto, em ruas, praças, parques, em toda BH a resposta é SIMPLES: "empreendedorismo" social, política habitacional de Beagá, preocupação social e humana dos desadministradores mineiros, compromisso ecológico e sustentabilidade verde, Tô nem aí para os miseráveis, F* viciados, drogados, vagabundos, refugiados, ilegais que vivem ou vieram parar em Belô!
Belo Horizonte é tão mal administrada que parece normalmente natural tropeçar nos miseráveis, pobres, em toda esta "gente humilde" que nem tem por que lutar todo dia, dia-a-dia "fingindo" que eles não existem!

Mas por que não poderia ser a explicação oficial: 
"Técnicos da Sudecap não têm ideia de quem possa ter feito o descarte irregular do material. Os carrinhos, no entanto, não são os únicos objetos inusitados encontrados em galerias espalhadas pela cidade";
*falta de cuidado de parte da população com o meio ambiente".
Foto Marina da Silva. Favela Pedreira Prado Lopes que recebeu uma tinta para enganar quem veio aqui para a COPA DA FIFA  de corrupção em 2014! A "reforma" do Mineirão custou quase 800 milhões de reais, uma bagatela em concreto e cadeiras de plástico reciclável, que nem são essa Coca-Cola toda!



A RESPOSTA.


SIMPLES ASSIM: da mesma forma como os desadministradores de Beozonti tratam  os pobres e miseráveis, ela trata  A POPULAÇÃO GERAL, classe média clássica inclusa, os serviços básicos da saúde,  educação, o transporte público, o saneamento básico, coleta de lixo, proteção as árvores, etc; pois é, todos os serviços públicos necessários para a população viver com respeito e dignidade humana,. Tudo que é destinado aos Belo horizontinos são de quinta categoria entregues a empresas terceirizadas que fazem ou não trabalho meia-boca, de nenhuma classe, cobrando e pagando propinas e aditivos altíssimos. Não temos administradores e sim corruptos e proxenetas!
Foto Marina da Silva. A farsa do discurso verde!

Parece cenário de filme Harry Potter, mas é o estado atual dos maravilhosos Ficus da praça Bernado Monteiro, área hospitalar, que foi atingida por uma praga e a PBH nada fez para salvar as árvores e agora ESPALHA A MENTIRA QUE UM VÂNDALO ENVENENOU OS FICUS!  Muitos surdos de BH escutam e concordam plenamente sem sequer saber quando tudo começou e onde fica tal praça. DETALHE: neste mesmo instante em que denuncio o mesmo acontece aos FICUS  da rua Barbacena, no Barro Preto.
Foto Marina da Silva. 

Não existe banheiros públicos em BH, nem sequer banheiros químicos são colocados à disposição da população moradora de rua e dos trabalhadores do Serviço de Limpeza Urbana, terceirizados para empresa que surgiram do meio do nada como a Via solo e que recebe[?] por serviços meia-boca. Atualmente aparecem lixo nos sacos da Via Solo, Conservo, KTM.
Fezes, urina, sangue e outros fluidos empestam vários pontos e bairros do hipercentro de Beagá!

Foto Marina da Silva. Revolta do Busão/Jun.2013. O estopim da revolta foi o aumento da tarifa de ônibus, o que estava entalado e revoltando os brasileiros? ALTÍSSIMO GRAU DE CORRUPÇÃO NO BRASIL, MINAS GERAIS, BELÔ INCLUSA!

NA FOTO: PARECEM VÂNDALOS, MAS SÃO CIDADÃS E CIDADÃOS DE TODOS OS SEXOS, IDADES COM UM GRITO QUE EXPLODIU NA CORRUPÇÃO COPA FIFA: CHEGA DE CORRUPÇÃO!

O MAIS RECENTE E MAIS SINISTRO CASO QUE SUPERA O BIZARRO CASO DOS CARRINHOS DE SUPERMERCADO É: o sumiço da camada pré-sal.

NÃO EXISTE PRÉ-SAL; O BRASIL NÃO TEM CAPACIDADE PARA EXTRAIR PETRÓLEO E GÁS NATURAL EM ÁGUAS PROFUNDAS; NÃO HÁ RIQUEZAS DE MEGA CAMPOS PETROLÍFEROS E GÁS NATURAL NA CAMADA PRÉ-SAL. NÃO EXISTE NENHUMA CAMADA PRÉ-SAL!

Muitos surdos já ouviram, escutaram e começaram a espalhar esta verdade absoluta do ESTRANHO CASO DO SUMIÇO DA CAMADA PRÉ-SAL! Quem tem ouvidos e ouve, ESCUTE E ENTENDA o que está por trás deste sinistro!