Postagens populares

Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A ARMAÇÃO CHINESA

A ARMAÇÃO CHINESA

Marina da Silva

Que uma boa dona-de-casa é também uma excelente economista é sabido em todo o mundo. E foi assentada nesta qualidade, que, após cálculos e estudos sobre custo/benefício, investimento/retorno, lucro/prejuízo e principalmente, não ficar pagando mico, é que mesmo antes do início das chuvas me preocupei em me armar com uma peça autêntica, original, enfim, um bom guarda-chuva.
 Desfiz de toda a cacaria de sombrinhas 1,99, aquelas compradas quando o tempo muda de supetão, em qualquer lugar e tomei opiniões sobre onde achar um produto de qualidade e principalmente durabilidade. Não que eu tenha tantas restrições aos produtos chineses, mas sombrinhas e guarda-chuvas não é a praia deles. E basta sair num dia de chuva, postar-se num ponto alto de algum edifício do centro e dar uma olhada para baixo para se identificar a armação chinesa. O tecido ainda passa, mas a armação só serve para nos matar de raiva e passar vexame.
É um festival multicolorido de sombrinhas escangalhadas – feio e lastimável. E isso sem contar o que acontece quando se enfrenta chuva e ventania: nasce do nada um exército de espadachins!
Então peguei endereços de lojas tradicionais em venda de bons produtos e lá fui eu comprar o meu guarda-chuva. Entrei numa loja e a aparência nobre e as garantias convenceram-me a pagar à vista. Era um produto nacional, de uma empresa paulista, que vendia um dos melhores produtos do país! O vendedor excitado citou-me  nome, endereço, o CGC e o CPF da fábrica e do dono.
Saí de lá feliz e pronta para uma dança na chuva! A estréia foi boa: uma chuva média e senti que havia comprado uma armadura resistente. Mas não é que em menos de um mês, entre abrir e fechar, o meu lindo, autêntico e original guarda-chuva – crack- quebrou uma haste da armação.
Só dei pelo acontecido quando cheguei em casa a noitinha e fui abrí-lo na área para secar. Que decepção! Que dor no coração! Meu guarda-chuva que valia meia dúzia de sombrinhas da China!
_ Vou ao PROCON! Pensei chateada. Mas como não tinha passado nem um mês achei melhor voltar lá na loja e reclamar da qualidade dos guarda-chuvas e sombrinhas; vai ver que foi um acaso! Só que por curiosidade, tive a idéia de olhar o endereço da fábrica paulista na etiquetinha. Meu queixo caiu! Fiquei pasma, passada com o que estava escrito na tira branquinha:
_ Fabricado na China 100% poliamida. Importado por Ronche.... e Cia Ltda. CGC 64.018.../....-..
_ Putz! Sentei-me no sofá desolada. Caí em mais um negócio da China!